Satélite: Líder do PCC na Bahia, traficante que tentou ser vereador tem habeas corpus negado

satélite
23.03.2017, 09:15:00

Satélite: Líder do PCC na Bahia, traficante que tentou ser vereador tem habeas corpus negado

Acusado de comandar um dos braços do PCC no interior do estado, o traficante Amadeu Pedreira Souza teve o pedido de habeas corpus negado pelo desembargador Aliomar Silva Britto, do Tribunal de Justiça. Amadeu está preso desde julho do ano passado, depois que uma operação conjunta das polícias Federal e Civil apreendeu 143 quilos de cocaína, 137 quilos de maconha, armas, carros e dinheiro em duas bases usadas pelos integrantes do PCC para armazenar drogas nos arredores de Feira de Santana. Na ocasião, foi preso também Florisvaldo Dantas Macedo Andrade, o Macarrão, chefe do tráfico na favela de Heliópolis, uma das áreas controladas pela facção em São Paulo. Antes de operar a distribuição de entorpecentes do PCC na Bahia, Amadeu se tornou nacionalmente conhecido em agosto de 1999, por envolvimento no sequestro da empresária Patrícia Giancolli Sturlini. Capturada quando entrava em seu carro no Morumbi, bairro nobre da capital paulista, Patrícia ficou nove dias em um cativeiro. Logo depois, Amadeu foi localizado por policiais da Delegacia Anti-Sequestro de São Paulo em Araci, cidade baiana onde tentou carreira política como vereador em 2008, mas acabou impedido pela Justiça Eleitoral por causa da longa ficha criminal.

Memória apagada
Enquanto os produtores lutam para revitalizar a região cacaueira, principal base econômica da Bahia até o fim dos anos 1960, a Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri) mantém fechado há mais de um ano o Museu do Cacau, localizado em um prédio de estilo Art Déco no Comércio. Como a porta de acesso ao espaço está quebrada, a solução encontrada pela Seagri foi vedar a entrada com blocos, impedindo a visitação de milhares de turistas que desembarcam dos cruzeiros no Porto de Salvador interessados em conhecer parte da história narrada nos livros de Jorge Amado. Com o abandono, o acervo e as instalações do museu correm risco de deterioração.

Voo livre
O novo aeroporto de Vitória da Conquista caminha para deixar a lista de obras inacabadas na Bahia. O governo do estado assinou o contrato de R$ 28,7 milhões com o Consórcio Sial/PJJ, vencedor da licitação para construir o terminal de passageiros e elaborar os projetos de arquitetura, engenharia e instalações complementares do equipamento, que começou a ser erguido em fevereiro de 2014. De lá para cá, apenas a pista de pouso e decolagem foi finalizada. Desde o fim de 2015, empresários, políticos e líderes de movimentos sociais da cidade cobravam a conclusão do novo aeroporto e receavam que ele se transformasse em mais um elefante branco.

Aspas
"O relator vai propor, mas quem souber se será aprovada ou não ganha um doce", Lúcio Vieira Lima, deputado federal pelo PMDB da Bahia, sobre a proposta de voto em lista fechada nas eleições.

Bem na fita
A juíza baiana Andremara dos Santos caiu de vez nas graças da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmén Lúcia. Anteontem, a ministra prorrogou por mais seis meses a permanência de Andremara na Corte, onde é secretária-geral da presidência, um dos postos mais importantes na estrutura do Supremo, responsável pela pauta de julgamentos no plenário. Nomeada por Carmén Lúcia em setembro de 2016, a juíza se tornou a primeira negra a ocupar o cargo e, dois meses depois, foi homenageada com uma comenda do Ministério da Justiça por simbolizar a luta contra o racismo.

Passagem de som
A Caixa Econômica assinou contrato de patrocínio no valor de R$ 235 mil para a segunda edição do projeto Brasil Orquestral - Concertos de Música de Câmara no centro cultural do banco em Salvador. Ano passado, quatro grupos de destaque movimentaram o espaço da Caixa na Rua Carlos Gomes: o Quinteto Villa Lobos e os quartetos Radamés Gnattali, Carybé e Quinta Essentia. A programação e as atrações deste ano ainda não foram divulgadas pela Maré Produções, idealizadora do projeto, mas a expectativa é de que as apresentações ocorram entre abril e julho.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas