Seis criminosos são condenados por chacina em Porto Seguro

bahia
24.10.2020, 08:49:00
Atualizado: 24.10.2020, 08:49:42
(Taísa Moura/TV Santa Cruz)

Seis criminosos são condenados por chacina em Porto Seguro

Penas variam de 195 a 248 anos de prisão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Seis pessoas foram condenadas pela chacina que deixou oito mortos em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, em 2017. A decisão da 1ª Vara Criminal foi proferida nesta sexta-feira (23).

O crime ocorreu no dia 5 de fevereiro. As vítimas eram jovens que tinham voltado de uma festa estilo "paredão" e estavam em uma casa no bairro de Porto Alegre I, em Porto Seguro. Eles foram surpreendidos por criminosos armados, que chegaram ao local em uma caminhonete, atiraram e depois fugiram.

Na decisão judicial, seis homens foram condenados a cumprir penas variam entre 195 e 248 anos de reclusão. Os criminosos são Antônio José dos Reis, condenado a 248 anos; Isnaldo Silva Santos (195 anos); Rafael Miranda Nascimento (195 anos); Ueber Souza dos Santos (195 anos); Jackson Araujo Nascimento (202 anos); e Walas Silva dos Santos (202 anos).

Na época, os bandidos chegaram a fingir que eram policiais  a se passar por policiais ao chegar ao local do crime. Em depoimento, sobreviventes disseram que a chacina não teve mais mortos porque a munição dos suspeitos acabou.

Entre os mortos, estavam quatro filhos de policiais. De acordo com o delegado Moisés Nunes Damasceno, titular da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis), morreram na ação Gabriel Lobo Fernandes, 22 anos, filho do falecido Policial Militar Sidinei dos Santos Fernandes, Igor Lelis dos Santos Santana, 20, filho do PM Josenilton dos Santos Santana, os irmãos Victor Cláudio do Nascimento Bispo, 20 anos e Caio Felipe Nascimento Bispo, 17, filhos do Policial Civil Cláudio dos Santos Bispo.

Além deles, também foram mortos Vinicius Bispo dos Santos, que era cabo da Aeronáutica, os irmãos Gabriel de Jesus Feitosa, 25, e Leandro de Jesus Feitosa, 21, e Felipe Ricardo Lopes Borges, 27. Uma nona vítima sobreviveu e foi internada em estado grave, após ser baleada na cabeça.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas