'Sem cor e ruim de passar troco': baianos reagem à cédula de R$200

salvador
02.09.2020, 17:36:00
Atualizado: 02.09.2020, 19:26:38
Nova nota tem o mesmo tamanho da atual cédula de R$20 (Foto: Reprodução/Banco Central do Brasil)

'Sem cor e ruim de passar troco': baianos reagem à cédula de R$200

Com Lobo-guará na estampa, nova cédula dividiu opiniões e gerou memes na internet

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

"Mais feio que ela só vai ser meu desespero se tiver que passar troco pra isso aí", diz o sorridente João Santos, 25 anos, guardador de carros na Avenida Sete de Setembro enquanto olha a foto da nova nota de R$200 exibida pelo repórter. A cédula entrou em circulação nesta quarta-feira (2), dividindo opiniões e gerando memes internet afora.

Feita com um tom acinzentado, a moeda tem como protagonista o Lobo-guará e tem o mesmo tamanho da nota de R$ 20. O animal foi o terceiro mais votado em uma pesquisa feita em 2001 que escolheu espécimes da fauna brasileira para serem ilustradas nas células. Os dois animais mais votados foram a tartaruga marinha e o mico-leão-dourado.

A cédula de R$200 se junta às outras seis notas já em circulação: R$2, R$5, R$10, R$20, R$50 e R$100. Assim como as outras cédulas, a 'duzentona' possui elementos de segurança que também estão em outras denominações e já são conhecidos pela população, como o número que muda de cor e a marca-d’água.

João avalia que a nota é estranha, diferente dos tons vibrantes das outras cédulas e brinca dizendo que - literalmente - não viu nem a cor da cédula neste primeiro dia. E logo depois agradece aos céus por essa dádiva.

"Eu queria um monte dessa no meu bolso, mas pra dar troco dela vai ser complicado. Às vezes, a gente passa vexame até pra dar troco de cinquentinha", conta aos risos.

ou com balinhas de menta

Uma publicação compartilhada por melted videos (@meltedvideos) em 2 de Set, 2020 às 11:32 PDT

De acordo com o Banco Central (BC), o dinheiro em espécie ainda é o meio mais utilizado para pagamentos e recebimentos aqui no Brasil e, com a pandemia do coronavírus, verificou-se que brasileiras e brasileiros passaram a guardar mais dinheiro, tirando as cédulas de circulação.

A criação da cédula de R$200, segundo o BC, foi para garantir o fornecimento adequado de cédulas que estão sendo demandadas no país. Dessa forma, o Banco Central mira uma "redução de custo de logística e distribuição de dinheiro: será possível fazer saques de valores maiores com menos cédulas".

Em 2020, serão impressas 450 milhões de cédulas de R$ 200. As novas notas serão colocadas em circulação por intermédio da rede bancária, e a distribuição vai ocorrer de acordo com a demanda. O Banco Central não respondeu ao questionamento sobre o volume de cédulas direcionadas para o estado da Bahia.

A circulação da nota de R$200 foi um dos assuntos mais comentados no Twitter durante o dia de lançamento. A maioria das opiniões trazia resenhas e previam situações prováveis de enfrentar.

Morador de Feira de Santana, o costureiro Anderson Santana defendeu que a cédula falsa que circulou na Princesa do Sertão antes mesmo da nota ser divulgada pelo Banco Central era muito mais bonita.

"Rapaz, a gente tem que fazer um protesto urgente. A nota é feia demais. Acho que o Brasil deveria olhar melhor pra Feira porque aqui a gente faz inovação 24h por dia", brincou Anderson.

No twitter, o usuário @JEffWhovian sugeriu que aumentasse a saturação da nota para ter cores mais vibrantes e combinar com o resto da família. Teve aprovação. Veja abaixo como ficou.

Aqui em Salvador tem gente que não está ligando muito pra essa história de beleza da nota, não. É o caso do estudante Paulo Oliveira, 19. Sem emprego desde o início da pandemia, após ser demitido da loja de departamento onde atuava há seis meses, ele conta que pouco importa a estética da nota. Feia ou bonita, uma dela cairia muito bem dentro de sua carteira.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas