Sem provador, nem promoção: shoppings mudam rotina para funcionar na pandemia

salvador
22.07.2020, 05:00:00
(Divulgação/Salvador Norte Shopping/Roberto Abreu)

Sem provador, nem promoção: shoppings mudam rotina para funcionar na pandemia

Confira as novas regras adotadas pelos estabelecimentos em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem está sentindo falta de bater perna nos shoppings pode comemorar, pois a reabertura dos estabelecimentos de Salvador deve acontecer até a sexta-feira, como indicou o secretário municipal de Saúde Leo Prates, na última sexta (17). A retomada das atividades depende da queda na taxa de ocupação dos leitos de UTI em Salvador para o patamar dos 75%, o que já foi alcançado. No entanto, é necessário que a taxa siga dessa forma por cinco dias consecutivos. 

Um protocolo base de reabertura já está pronto, incluindo regras básicas e já vistas em mercados, e inclui, por exemplo, o uso obrigatório de máscaras e a redução em 50% das vagas de estacionamento. Mas os centros comerciais foram além e estabeleceram novas condutas para dar ainda mais segurança para seus clientes. 

Com as regras governamentais e as restrições de cada estabelecimento, os clientes vão ter uma experiência diferente quando pisarem nos shoppings novamente. As roupas, por exemplo, terão que ser compradas sem que sejam experimentadas em um  provador - equipamento  proibido pelo decreto.

Algo que também não deve acontecer logo na retomada das atividades são as ações de grandes liquidações nos shoppings. Apesar de não ser proibido dar descontos, o decreto da prefeitura veta a realização de eventos ou promoções nos espaços comuns que possam gerar aglomeração de pessoas, o que poderia ocorrer com a oferta de produtos mais baratos. Cada loja, entretanto, pode optar por fazer vendas com abatimento. Nesse sentido, o Shopping Paralela já orientou seus lojistas a não realizarem ações de marketing que criem multidões.

Limites
A reabertura impõem limites, que terão que ser respeitados pelos clientes para evitar a formação de aglomerações. A ordem é manter a distância de 1,5m entre as pessoas, inclusive nas escadas rolantes. O decreto municipal ainda restringe a capacidade máxima de ocupação de 1 pessoa a cada 9m² de área total do empreendimento e de 1 pessoa a cada 5m² da área de cada loja.

Para garantir o cumprimento das medidas, os shoppings instalaram marcações no chão indicando o distanciamento de 1,5 m em locais de grande aglomeração, como filas e entrada dos elevadores. Até as escadas receberam indicações para evitar a proximidade entre os clientes. Nos shoppings Piedade, Barra e Paseo, por exemplo, a regra é uma pessoa a cada três degraus.

O Salvador Shopping e o Salvador Norte Shopping vão garantir o controle de fluxo com uso de aplicativos  capazes de apontar, em tempo real, o número de pessoas no centro comercial. Ambos os centros  também instalaram tapetes bactericidas para a higienização dos sapatos de quem estiver no local.

“Toda nossa equipe está treinada para identificar possíveis pontos com maior número de clientes e ordenar para que a distância seja mantida. O sistema de câmeras será um grande aliado nesse sentido”, garante Fernando Rocha, Diretor Regional BA/SE do Grupo JCPM, que administra os empreendimentos.

A tecnologia pode ser uma grande aliada para evitar contágios dentro dos centros de compras. O Bela Vista importou um equipamento alemão para impedir a propagação do coronavírus em superfícies de áreas comuns. De acordo com o centro, foram investidos mais de R$ 300 mil nas  preparações para a reabertura. 

“O Dispositivo Ultra UV para corrimão irradia uma luz ultravioleta com ação germicida e esterilizadora a uma curta distância do corrimão, agindo diretamente no material genético de bactérias e vírus, inclusive da covid-19, oferecendo uma desinfecção segura, rápida e mais agradável ao usuário, sem vestígios dos convencionais produtos de limpeza”, informa o shopping, que também vai calcular o número de pessoas no local com a ajuda de câmeras e sensores  de presença.

Tecnologia de desinfecção foi instalada no Shopping Bela Vista (Foto: Divulgação)

Apesar de poderem funcionar, os elevadores ficarão mais vazios. Alguns shoppings, como o Shopping da Bahia, reduzirão a capacidade máxima de operação para apenas 30% da lotação. Além do limite de passageiros, o Salvador Shopping e Salvador Norte optaram por destinar as máquinas para o uso preferencial de idosos, gestantes, pessoas com deficiência e com crianças de colo. Todos os centros comerciais reforçaram a higienização destes equipamentos bem como das escadas rolantes.

O Paseo Itaigara deu um passo a mais na segurança. Lá, apenas dois passageiros poderão utilizar o elevador por vez. “Estamos tendo um cuidado maior que o que o decreto está nos pedindo”, afirma a gerente geral do shopping, Thais Leal.

A higienização será intensificada e os estabelecimentos também vão disponibilizar álcool em gel. O Bela Vista já instalou 130 totens de álcool em gel em diversos pontos de sua área, já o Salvador e o Salvador Norte possuem juntos mais de 300 pontos de distribuição do produto. No paralela, a proteção também foi reforçada com a entrega de máscaras para os clientes. 

Ainda assim, nem todas as áreas dos shoppings estarão abertas. Bares, restaurantes e cinema devem continuar fechados. As praças de alimentação poderão apenas atuar com os serviços de delivery e take away.

Apesar da reabertura, quem preferir fazer as comprar sem sair do carro ainda poderá utilizar o drive-thru dos shoppings da Bahia, Bela Vista, Itaigara, Paseo, Barra, Piedade, Paralela, Cajazeiras, Salvador e Salvador Norte.

Funcionários
Os funcionários também terão um papel fundamental na construção de uma reabertura segura. Além de não poderem usar os uniformes de trabalho no caminho entre a casa e o ofício, os trabalhadores devem ser informados sobre o protocolo de funcionamento.

Como forma de restringir ainda mais as possibilidades de contaminação, os lojistas deverão responder diariamente um questionário epidemiológico e ter a temperatura aferida. O profissional que apresentar sintomatologia compatível com o coronavírus ou temperatura igual ou superior a 37,5°C, deverá passar por um teste RT-PCR, que detecta a doença.

Preparação
Certas ações já foram pré-determinadas por um decreto publicado pela prefeitura no último sábado (18), dentre elas está a redução em 50% da oferta das vagas de estacionamento e o  uso obrigatório de máscaras. 

Mesmo antes da publicação do decreto, os estabelecimentos já se preparavam para a reabertura. No Shopping Barra, os mais de 100 dias de portas fechadas não significaram uma pausa no trabalho, afirma Naildo Macedo, superintendente do empreendimento.

“Esse é um momento bastante esperado por clientes, lojistas, parceiros e todos aqueles que fazem parte da nossa história e do nosso cotidiano. Nos preparamos e agora vamos voltar com toda a segurança que o cenário exige. Não estamos medindo esforços para que o nosso público se sinta seguro e confortável em voltar a frequentar o Barra como se fosse uma extensão da sua casa, como sempre foi”, destaca Macedo.

Totens para dispersão de alcool em gel foram instaldos nos shoppings (Foto: Divulgação/Salvador Shopping/Roberto Abreu)

Com a retomada, a expectativa é que pelo menos 90% das 250 lojas que existem no Bela Vista abram. “Alguns estão em uma situação complicada e demonstram dificuldade em reabrir”, pontua o superintendente.

Para a gerente geral do Paseo Itaigara, o shopping não deve atrair grande aglomerações por já ter um público fiel. “Ante da pandemia, a gente já tinha um controle de fluxo. Agora, temos uma atenção redobrada e só teremos um acesso. Equipes de fiscalização também vão checar se as loja cumprem os decretos”, afirma Leal.

Perante o decreto municipal, o empreendimento deve que fiscalizar os lojistas sendo corresponsável pelo cumprimento de todas as medidas. Em caso de descumprimento das regras, o fato deve ser comunicado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur). A pasta também realizará a fiscalização diária do cumprimento dos protocolos de funcionamento e setoriais.

Riscos
Antes de sair de casa e voltar a fazer passeios nos shoppings, o ideal é sempre analisar se a saída é realmente necessária, ressalta o infectologista Fábio Amorim. “Como tudo que envolve o coronavírus, temos que entender o que é necessidade e o que é apenas a vontade de sair de casa. As pessoas estão desejando sair de casa e o shopping é uma das opções de lazer em Salvador, mas, se todo mundo for ao mesmo tempo, isso vai gerar aglomerações e tumulto, o que aumenta o risco de contágio pelo vírus”, alerta.

A transmissão do coronavírus pelo ar deve ser um ponto a ser levada em conta. “Os shoppings têm ar-condicionado e não se sabe como dá a troca de ar, se eles têm um sistema de filtragem eficiente para proteger contra o coronavírus”, opina Amorim.

Quem, mesmo assim, ainda desejar ir até os centros comerciais deve se atentar à prevenção, afirma Amorim. “Indico o uso de álcool em gel e da máscara. Também é muito importante lavar a mão com água e sabão sempre que possível, já que, o álcool em gel pode não limpar de forma efetiva”, recomenda.

A máxima de evitar tocar em objetos e superfícies e se aglomerar também deve ser praticada, diz o infectologista. “Deve-se atentar ao corrimão da escada rolante, por exemplo, já que não se sabe se a pessoa que subiu na sua frente higienizou as mãos. A população já está treinada, mas temos que reforçar essas práticas a todo instante pois, no shopping, o risco de contaminação é aumentado pela exposição”, diz.

Regras de funcionamento

  • Horário de funcionamento:  de segunda-feira a sábado, das 12h às 20h;
  • As máscaras são obrigatórias e as pessoas devem manter afastamento mínimo de 1,5m;
  • Capacidade máxima de ocupação:  1 pessoa a cada 9m² de área total do empreendimento e de 1 pessoa a cada 5m² da área de cada loja;
  • Vagas do estacionamento:  50% da capacidade total;
  • Implantação de uma estrutura de atendimento de saúde para realização de testes e oferta de orientações sobre as condutas a serem adotadas por trabalhadores e lojistas que apresentarem sintomas compatíveis com coronavírus
  • Diariamente os trabalhadores responderão a um questionário epidemiológico e terão sua temperatura aferida ao chegarem ao local de trabalho; Em caso se apresentação de sintomas ou temperatura igual ou superior a 37,5°C, estes realizarão os testes RT-PCR
  • Cada estrutura de atendimento de saúde implantada pelos shoppings será acompanhada e fiscalizada pela Vigilância Epidemiológica;
  • Deverão ser observados os decretos vigentes, especialmente os que estabelecem restrições/proibição de funcionamento para setores específicos (ex: bares e restaurantes, salões de beleza e barbearias, cinema, teatro, parques infantis);
  • Os estabelecimentos deverão colocar mensagens nas cancelas de entrada dos estacionamentos informando a importância de cumprir as medidas previstas nos protocolos
  • O controle de acesso aos estacionamentos deve ser realizado prioritariamente de forma automática ou com tickets descartáveis. Nos casos de utilização de cartões plásticos, estes deverão ser higienizados;
  • Realização de campanhas para estimular o uso de aplicativos para pagamento dos estacionamentos e incentivar compras on line com retirada través do sistema drive-thru;
  • As vagas de estacionamento para motocicletas e bicicletas deverão manter distanciamento de pelo menos 2m entre elas, com interdição e sinalização daquelas que não puderem ser utilizadas;
  • Não poderão ser disponibilizadas tomadas para carregamento de telefones celulares;
  • Sempre que possível, deverão ser designadas portas específicas para entrada e saída de clientes, além de sinalização no chão demarcando fluxos de circulação interna, de modo a evitar o cruzamento de pessoas;
  • É proibida a experimentação, teste ou prova de produtos de estabelecimentos, devendo os provadores ficarem fechados;
  • Deve ser criada e distribuída uma cartilha de orientação sobre este protocolo e o protocolo geral para todos os lojistas;
  • Os sanitários deverão dispor de pias, preferencialmente sem acionamento manual, com água, sabão, papel toalha e lixeira com tampa e acionamento por pedal; não podendo estar disponível o uso de secadores de mão automáticos;
  • Deverão ser afixada, próximo a todos os lavatórios, instruções da correta higienização das mãos;
  • Quando possível, sanitários, fraldários, espaços de amamentação e outros deverão permanecer com as portas abertas para beneficiar a ventilação e evitar o uso de maçanetas e puxadores;
  • Os fraldários e espaços para amamentação deverão ser higienizados antes e após cada utilização;
  • O empreendimento tem que fiscalizar os lojistas, sendo corresponsável pelo cumprimento de todas as medidas, e notificá-los em caso de descumprimento dos decretos municipais, assim como comunicar à SEDUR;
  • Os quiosques de vendas de produtos alimentícios localizados fora das praças de alimentação seguirão as mesmas determinações das praças de alimentação;
  • Bares, restaurantes e lanchonetes poderão realizar serviços de delivery e take away, inclusive para clientes do próprio estabelecimento
  • Os estabelecimentos devem ordenar filas que se formarem para acesso aos mesmos
  • As filas de veículos deverão ser organizadas para não causar transtornos ao tráfego e nas filas de pedestres deve ser garantido o afastamento de pelo menos 1,5m entre as pessoas e a obrigatoriedade do uso de máscaras;
  • Os elevadores deverão ser constantemente higienizados e conter dispensers de álcool em gel em seu interior e ao lado das portas de acesso;
  • Não serão permitidos serviços de locação ou empréstimo de carrinhos de bebê e de pets;
  • A locação ou empréstimo de cadeiras de rodas poderão ser realizados, desde que estes equipamentos sejam protegidos com capas descartáveis e devidamente higienizados antes e após cada uso;
  • O fardamento deve ser usado exclusivamente dentro das dependências do estabelecimento;
  • É obrigatório afixar, em locais visíveis ao público nas entradas dos estabelecimentos, o protocolo geral, o protocolo específico e a capacidade máxima de pessoas simultâneas no estabelecimento;
  • Sofás, bancos, poltronas e cadeiras  dos espaços comuns não poderão ser utilizados, devendo ser retirados ou isolados;
  • Diretórios digitais de localização de lojas e serviços deverão ser mantidos desligados, o que deverá ser informado ao público em local visível;
  • Deve ser realizada a higienização constante dos caixas eletrônicos localizados fora das agências bancárias, devendo ser colocados dispensers de álcool em gel 70% nestas áreas específicas;
  • O uso de bebedouros nos espaços comuns é proibido
  • Deverá ser recomendado aos clientes que o tempo de permanência nos estabelecimentos e instalações seja o estritamente necessário para que possam fazer suas compras ou receber a prestação do serviço;
  • Não poderão ser realizados eventos ou promoções nos espaços comuns, a exemplo de praças, corredores e estacionamentos, que possam gerar aglomeração de pessoas

*Com orientação da subeditora Clarissa Pacheco

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas