Sem trio titular, Bahia muda no ataque para pegar o Goiás

e.c. bahia
23.11.2019, 05:00:00
Arthur Caíke, Gilberto e Élber vão formar o ataque do Bahia contra o Goiás, no Serra Dourada (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia )

Sem trio titular, Bahia muda no ataque para pegar o Goiás

Tricolor já usou 10 formações diferentes no setor ofensivo no Brasileirão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Se tem um setor que o Bahia vai precisar nesta reta final do Brasileirão é o ataque. Mirando uma reação na Série A, o time precisa de gols para reencontrar os caminho das vitórias e encerrar o jejum de sete partidas na competição nacional. 

Contra o Goiás, Roger Machado vai ser obrigado a mexer na frente mais uma vez. Sem Artur, que voltou da seleção sub-23 com dor muscular e foi vetado pelo departamento médico, o treinador não poderá escalar o trio de ataque considerado titular, que tem ainda Élber e Gilberto.

Juntos, Élber, Artur e Gilberto são responsáveis por 19 dos 36 gols que o Esquadrão marcou no Brasileirão, o que representa mais da metade dos tentos (52,7%). Os três não atuam juntos desde a 29ª rodada, quando o tricolor foi derrotado para o Santos, por 1x0, na Vila Belmiro. 

A rotatividade no ataque do Bahia tem sido grande. Seja por opção técnica, convocação, lesão ou suspensão, Roger tem promovido mudanças no setor. Até aqui, o Bahia já utilizou 10 trios diferentes no Brasileirão. 

Até a entrada de Élber de vez na equipe titular, na virada do turno, Lucca era o responsável por formar o ataque tricolor com Gilberto e Artur. O camisa 11, no entanto, não conseguiu marcar gols no período e acabou perdendo a vaga. 

No todo, Élber e Artur são os pilares do setor ofensivo tricolor. Além da parceria com Gilberto, a dupla ocupa também ocupa o posto entre o segundo ataque com mais partidas do Bahia no Brasileiro, com Fernandão como a referência. Juntos, eles atuaram em seis partidas. A última foi no empate por 1x1 com a Chapecoense, na Fonte Nova.

Diante do Goiás, a tendência é de que Arthur Caíke seja mantido na vaga de Artur, ao lado de Élber e Gilberto, repetindo o ataque empatou por 1x1 com o Palmeiras na Fonte Nova. Será apenas a segunda vez que os três vão iniciar juntos uma partida da Série A. 

Matador em dívida
Além de ajudar o Bahia a voltar a vencer no campeonato, o ataque tricolor vive a expectativa de ver o atacante Gilberto voltar a balançar as redes rivais. Ele não comemora desde o dia 21 de setembro, na derrota para o Corinthians, por 2x1, no Itaquerão. 

Já são 11 jogos se seca, mas Gilberto se mantém como o artilheiro do clube no Brasileirão, com 11 gols. Na ausência dos tentos decisivos do camisa 9, Artur tem assumido o protagonismo no ataque. Neste segundo turno, o baixinho já balançou as redes três vezes. A mesma quantidade de gols que ele somou em todo o primeiro turno. Fora isso, os gols do tricolor se dividiram entre Élber, Fernandão, Arthur Caíke (2), Nino Paraíba, Juninho e Marco Antônio (1).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas