Sete motoristas de aplicativos são roubados por dia, diz sindicato

salvador
14.11.2019, 15:49:00
Atualizado: 14.11.2019, 17:25:47
(Arisson Marinho/CORREIO)

Sete motoristas de aplicativos são roubados por dia, diz sindicato

Profissional foi morto em Pirajá na manhã desta quinta (14)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No primeiro semestre deste ano, 1.322 motoristas de aplicativo foram vítimas de crime em Salvador. O número representa uma média de sete atos criminosos por dia entre janeiro e junho deste ano. A informação é do Sindicato dos Motoristas por Aplicativos e Condutores de Cooperativas do Estado da Bahia (Simactter). 

A última vítima foi o motorista Neidson da Silva que morreu durante uma tentativa de assalto na Rua da Indonésia, em Pirajá, na manhã desta quinta-feira (14). 

Imagens de câmera de segurança mostram o momento em que o homem corre para tentar fugir e é baleado por um dos suspeitos de assalto. Já caído no chão, ele ainda é atingido por pelo menos mais três disparos. 

Após a morte da vítima, os suspeitos foram interceptados por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Houve troca de tiros e duas pessoas foram baleadas. 

“Após o confronto, os policiais acionaram o Samu e fizeram o socorro imediato de uma pessoa que foi atingida e do assaltante, que foram levados para o hospital", disse em nota a PRF.

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Socorridos para o Hospital Geral Roberto Santos, no Cabula, um dos feridos não resistiu e morreu, segundo informações da Polícia Civil. Os feridos ainda não foram identificados.

Procurada pelo CORREIO para comentar as estatísticas de crimes contra os motoristas de aplicativo, a Secretária de Segurança Pública (SSP) respondeu, atráves de nota, que "as unidades da Polícia Militar promovem blitze diárias e abordam táxis e carro de aplicativo. A falta de padronização dos carros de aplicativos, com algum adesivo, ou algo parecido, dificulta a identificação". 

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas