Sobrinho leva cadáver do tio para sacar pensão na Irlanda: 'não sabia que estava morto'

mundo
24.01.2022, 18:54:00
(Reprodução/Dylan Vaughan)

Sobrinho leva cadáver do tio para sacar pensão na Irlanda: 'não sabia que estava morto'

Com a ajuda de um amigo, Declan Haughney, de 40 anos, carregou o corpo do tio até uma agência dos correios para fazer o saque

Um homem foi identificado carregando o cadáver de seu tio para realizar o saque de sua pensão, na manhã da última sexta-feira (21), em Carlow, na Irlanda. Declan Haughney, de 40 anos, e um amigo arrastaram o corpo de Peadar Doyle, 66, da sua casa até uma agência dos correios durante cinco minutos.

Um atendente do local percebeu que o senhor de 66 anos estava morto e chamou a polícia. Ao ser questionado, Declan alegou que "não sabia que (o tio) estava morto" na época e insiste que não estava tentando roubá-lo.

“Por que eu iria querer roubar meu tio? Tenho 40 anos, não sou uma criança, não sou um jovem. Eu não sou um idiota para entrar em Hoseys (agência) com um homem morto e pegar seu dinheiro", disse o homem.

Em entrevista ao 'Irish Mirror', ele disse que agora é “o assunto da cidade” e que foi rotulado de “assassino” na comunidade local. Mas ainda declarou que está sendo apontado como culpado por conta de uma história anterior em que ele havia roubado sua tia. “É por isso que eles estão dizendo isso, é por isso que tudo isso está surgindo agora , porque eu fiz isso antes", comentou.

Declan, que admite que costumava ter problemas com drogas e que cumpriu dois anos de prisão, conta que o caso com sua tia aconteceu há 15 anos e que as pessoas da cidade ainda o julgam por isso. Na ocasião, ele conta que "um cartão de banco entrou pela porta da tia e eu peguei o código PIN e acabei preso por fraude."

Foto: Mick O’Neill

Sobre o cadáver do tio, Declan revelou que agora acredita que ele estava morto antes mesmo de chegar aos correios. O homem conta que encontrou Peadar embaixo de uma ponte, em uma rua próxima a sua casa, e, com ajuda de seu amigo Gareth Coakley, o levou até os correios, dando-lhe os braços e arrastando-o até lá.

Quando a dupla apoiou o senhor de 66 anos contra o balcão da agência, um membro da equipe entrou em contato com as autoridades irlandesas. Os dois homens prestaram depoimentos à polícia, mas não foram presos.

A polícia ainda investiga o crime e acredita que Peadar Doyle pode ter morrido cerca de três horas antes de sua ida à agência dos correios, apesar das alegações de que ele estava vivo.  As autoridades estão investigando se Doyle morreu de causas naturais.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas