Solto pela Justiça, Leandro P será o sucessor de Caíque em facção CP

salvador
28.09.2018, 18:15:00
Atualizado: 28.09.2018, 19:22:47

Solto pela Justiça, Leandro P será o sucessor de Caíque em facção CP

Policial falou sobre rumos de facção liderada por Val Bandeira, que também está solto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Caíque está preso, mas Leandro P, gerente do CP, e Val Bandeira, o chefão, estão em liberdade (Foto: Foto: Divulgação e Arquivo CORREIO)

Se levar em consideração a linha sucessória da facção Comando da Paz (CP), o traficante Leandro Marques Cerqueira, 36 anos, conhecido como Leandro P, assumirá o lugar de Antônio Caíque Santos Correia, 24, preso no último dia 6 em São Paulo. As informações são de agentes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco).

“Até então, não há outro nome no grupo. Caíque e Leandro P têm a mesma posição. São lideranças que agem sob o comando de Val Bandeira. A única diferença entre os dois é que Caíque é mais expressivo, por causa do sague frio. Ele que comandava os ataques aos rivais”, declarou o policial ao CORREIO.

PM
Leandro P é acusado de participação na morte do policial militar Diego Márcio Tavares de Oliveira, 27, baleado na localidade de Boqueirão. No momento do crime, Diego, que era lotado na 26ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Brotas), circulava pelo bairro do Nordeste de Amaralina, onde mora, à paisana. Segundo as investigações, o PM foi reconhecido por traficantes, que atiraram nele e o colocaram dentro de um carro, antes de seguir para a região da Avenida Paralela. 

O corpo do PM foi encontrado na Rua da Gratidão, ao lado do Colégio Paulo dos Anjos, em Piatã, com 20 perfurações de tiros concentradas na cabeça e nas pernas. De acordo com a polícia, também havia sinais de tortura.

Prisões
Segundo ele, Leandro P está em liberdade por conta de uma ordem judicial. Ele havia sido preso no dia 13 de novembro de 2016. Uma viatura da 40ª CIPM (Nordeste de Amaralina) fazia rondas quando avistou um Hyundai HB20 branco (OLE-2620) na Rua Amazonas, na Pituba. A polícia identificou Leandro P, com quem foram encontrados 11 pinos de cocaína e uma quantia não divulgada de dinheiro. 

A liderança do CP foi levada para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi lavrado o flagrante por tráfico de drogas pelo delegado Reinaldo Mangabeira. Leandro tinha três mandados de prisão em aberto.

Em 2012, Leandro foi detido quando preparava uma fuga para São Paulo. No momento da prisão, realizada no bairro de São Caetano, os investigadores apreenderam com Leandro R$ 39.500 em dinheiro, uma caminhonete Fiat Strada e um Palio Adventure, além de cinco celulares e chaves de outros três carros.

Leandro é apontado como o chefe de Marcelo Henrique Menezes dos Santos, o Elias ou Pinto, preso quando era o Ás de Ouro do Baralho do Crime e apontado como gerente do tráfico no Boqueirão. Além disso, Leandro P seria dono de uma frota de seis táxis. Na época, ele negou que ainda fazia parte do tráfico de drogas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas