Suposto bombardeio da coalizão internacional mata 25 civis na Síria

mundo
26.02.2018, 07:01:00
(AFP)

Suposto bombardeio da coalizão internacional mata 25 civis na Síria

Os aviões da coalizão tiveram como alvo a região de Dahra Aluni

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pelo menos 25 civis morreram nas últimas horas, entre eles sete menores e seis mulheres, em decorrência de um suposto bombardeio da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, contra um dos últimos redutos do grupo Estado Islâmico na Síria, informou nesta segunda-feira (26)o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A fonte afirmou que há também vários feridos, alguns deles em estado grave, razão pela qual não descartou que o número de mortos aumente.

Os aviões da coalizão tiveram como alvo a região de Dahra Aluni, no leste da província síria de Deir ez-Zor e um dos últimos redutos dos extremistas no país.

Nessa área, situada a leste do Rio Eufrates, o Estado Islâmico mantém o controle de quatro cidades.

Ali, a coalizão oferece cobertura aérea às operações terrestres das Forças da Síria Democrática (FSD), um grupo armado liderado por milícias curdas, que enfrentam o Estado Islâmico nessa região.

No passado, Deir ez-Zor foi um dos maiores redutos do grupo terrorista na Síria, junto à província de Raqqa, mas os jihadistas perderam nos últimos meses a maior parte dos seus domínios para as FSD e as forças governamentais sírias.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas