Suspeito de envolvimento na morte de policial civil é preso na Soledade

salvador
16.04.2021, 22:24:41
Atualizado: 16.04.2021, 22:32:54
(Divulgação/PC)

Suspeito de envolvimento na morte de policial civil é preso na Soledade

Crime ocorreu no último dia 12, no bairro da Santa Mônica, em Salvador. Outros quatro suspeitos de envolvimento no crime são procurados pela polícia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.



A polícia prendeu, nesta sexta-feira (16), um homem suspeito de envolvimento na morte do policial civil Joel dos Santos de Jesus. O policial, de 49 anos, foi assassinado na última segunda-feira (12), no bairro de Santa Mônica. O suspeito de envolvimento no crime foi preso no bairro da Soledade. Com ele, a polícia apreendeu uma pistola calibre ponto 40, 28 munições, R$ 127, um celular e um relógio roubado.

O acusado foi autuado por tráfico de drogas e porte ilegal de arma e munições. O nome do homem não foi divulgado pela Secretaria de Segurança Pública.

A prisão ocorreu durante ação integrada dos Departamentos de Polícia Metropolitana (Depom), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), e da Coordenação de Polícia Interestadual (Polinter). De acordo com a polícia, o homem confessou a participação na morte de Joel dos Santos. 

“Ele foi responsável por ajudar na fuga de outros quatro comparsas, envolvidos no crime”, explicou a diretora do DHPP, delegada Andréa Ribeiro. Segundo a delegada, o homem tem passagens pela polícia por tráfico e usa tornozeleira eletrônica. 

Durante a ação, outro homem foi flagrado com 48 porções de maconha. Ele também vai responder por tráfico. De acordo com o diretor em exercício do Depom, delegado Augusto Eustáquio, as investigações continuam para identificar e localizar os demais envolvidos na morte do policial civil. 

Os dois presos estão à disposição do Poder Judiciário e devem passar por audiência de custódia. O material apreendido com eles será encaminhado para a perícia, no Departamento de Polícia Técnica (DPT). “Solicitamos à Justiça a conversão do flagrante em prisão preventiva”, ressaltou Eustáquio. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas