Sustentabilidade de vento em popa

especiais patrocinados
29.06.2021, 06:00:00

Sustentabilidade de vento em popa

Organizações que utilizam os mares avançam em práticas alinhadas aos ODS e ESG

A Economia do Mar passa, necessariamente, por um desenvolvimento capaz de aliar os fatores econômico, ambiental e social. Com esse propósito, organizações que precisam dos oceanos têm a sustentabilidade presente na estratégia dos negócios por meio de iniciativas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e ao emergente conceito de Environmental, Social and Governance (práticas ambientais, sociais e de governança – ESG). 

Para combater a poluição plástica nos oceanos em curto, médio e longo prazos, a Braskem se uniu ao projeto Blue Keepers, da Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Segundo dados das Nações Unidas, o mundo despeja todos os anos 8 milhões de toneladas de plástico nos mares. Ao reconhecer a urgência do problema e entender o seu papel na cadeia produtiva, a companhia está engajada a transformar essa realidade. 

A empresa tem como meta, até 2030, alcançar 1,5 milhão de toneladas por ano de plásticos pós-consumo recuperados, além de 1 milhão de toneladas por ano de produtos com conteúdo reciclado vendidos. “A Braskem está no mais alto nível de um grupo de empresas globais que lutam para evitar que resíduos plásticos cheguem ao meio ambiente”, destaca o diretor industrial da Braskem na Bahia Carlos Alfano. 

OPERAÇÕES ‘VERDES’
A Wilson Sons promove a educação ambiental e sustentabilidade como um dos pilares da marca. No Tecon Salvador a redução de impactos ambientais é premissa prioritária para o terminal, norteado pelo movimento global dos ODS.
“Com arrojada infraestrutura aliada à logística 4.0 e padrões ambientalmente sustentáveis, dispõe de equipamentos equiparáveis aos mais modernos presentes na atividade portuária mundial, a exemplo da sua frota de 03 STS New Panamax, 03 STS Super Post-Panamax, 03 STS Panamax e 16 RTGs, todos com sistema de regeneração de energia”, observa o diretor-executivo Demir Lourenço. 

Primeira empresa brasileira a ganhar o Prêmio Marítimo das Américas na “Categoria Operações Verdes”, promovido pela OEA (2019) por meio do seu Programa de Consumo e Reuso de Águas e Estação de Tratamento de Efluentes, a Wilson Sons também pratica, no Tecon, a logística reversa para embalagens de óleo lubrificante e busca trabalhar a conscientização ambiental junto aos seus colaboradores e familiares.

RECUPERAÇÃO DE NASCENTES
A Bracell, que desenvolve uma série de projetos socioambientais nas regiões onde atua, apoia o projeto de recuperação da nascente de um dos afluentes do Rio Subaúma, em parceria com a associação de moradores da comunidade de Prata, em Entre Rios (BA). 
O trabalho de regeneração e sensibilização, que envolve de crianças a idosos da Prata, teve início em 2014 e já resultou no plantio de mais de 1.500 mudas nas matas ciliares, além da capacitação e apoio dado pela Bracell à comunidade. “A gente vem lutando, com a ajuda da empresa, para resgatar nossa nascente e, com o tempo, essa riqueza hídrica”, afirma a bióloga e presidente da associação de moradores local Maria de Jesus.

O Economia do Mar é uma realização do jornal Correio com o patrocínio da Bracell, Wilson Sons, parceria Braskem e apoio institucional da Marinha do Brasil e WWI.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas