Tão esperando o que? 250 mil pessoas estão atrasadas para tomar a vacina em Salvador 

salvador
23.09.2021, 05:00:00
Posto de Saúde vazio não dá, né, gente? (Nara Gentil/CORREIO)

Tão esperando o que? 250 mil pessoas estão atrasadas para tomar a vacina em Salvador 

São aqueles que não tomaram a 1ª dose e os que não voltaram para receber a 2ª ou a dose de reforço

A promotora de vendas Isabel Gomes, 42 anos, mora em Salvador, mas ainda não tomou a primeira dose da vacina que protege contra a covid-19. Segundo ela, as razões são inúmeras. Falta de tempo, problemas pessoais para resolver e até falta de confiança nos imunizantes, mas depois de alguns minutos de conversa ela admite: são só desculpas.

Isabel faz parte das 252 mil pessoas que estão atrasadas para tomar a vacina, em Salvador. Os dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) apontam que 66.695 soteropolitanos ainda não compareceram aos postos para tomar sequer a primeira dose. A capital já está imunizando pessoas com 12 anos e aplicando dose de reforço em idosos, mas os postos ainda estão atendendo quem tem 18 anos ou mais e precisa tomar a primeira vacina.

“Eu fiquei com medo. Esperei as pessoas tomarem primeiro e aguardei para ver se elas teriam alguma reação. Teve gente que teve reação. Além disso, o trabalho toma muito meu tempo e sempre tenho coisas para resolver em casa, tenho filho pequeno, então, é uma correria, mas sei que são só desculpas. Vou me organizar”, prometeu Isabel. 

Especialistas já explicaram, desde o começo da vacinação, que reações são normais e destacam os mais de 1 milhão de soteropolitanos que tomaram as duas doses do imunizante e seguem a vida normal como a comprovação de que a vacina é segura. Além dos atrasadinhos da primeira dose, outro número que preocupa é daqueles que ainda não voltaram para tomar a última. Segundo a SMS, são 142.710 pessoas nessa situação. 

É nesse grupo que está a dona de casa Sueli Ferreira, 48, que ainda não tomou a segunda dose. “A primeira eu tomei atrasada também. Minha mãe ficou doente e estava cuidando dela, mas agora que ela está ficando melhor vou procurar um posto de vacinação”, disse. 

Já uma promotora de vendas que pediu para não ser identificada foi categórica ao afirmar que só vai se vacinar porque a empresa em que ela trabalha está exigindo. Primeiro, ela protelou porque não queria relevar a idade. Depois, disse que estava sem tempo. Agora, coloca em dúvida a eficiência das vacinas. “Eu não tomei e nem estou a fim de tomar, mas vou fazer isso porque a gente trabalha com atendimento ao público”, afirmou. 

Na fila dos atrasados estão também 11.042 idosos que ainda não receberam a dose de reforço e 31.670 adolescente, de 12 a 17 anos, que estão sendo aguardados nos postos.

Cobrança 
O prefeito Bruno Reis se queixou do descaso dessa parcela da população durante a assinatura de uma ordem de serviço, na terça-feira (21), e pediu que os soteropolitanos não relaxem as medidas de proteção contra o vírus que já matou 7 mil pessoas em Salvador, 26 mil na Bahia e 591 mil em todo o Brasil. Ele disse que a situação da variante Delta está sob controle, mas que é preciso a população se imunizar para evitar o caos na saúde e na economia. 

“O que a gente pode continuar fazendo nesse momento é continuar usando máscara, evitando as aglomerações, fazendo a higienização e se vacinando. São essas as determinações nesse momento, porque se os números voltarem a crescer e a variante Delta estiver agressiva teremos que tomar novas decisões”, alertou. 

Atualmente, Salvador tem 2 milhões pessoas vacinadas com a primeira dose e 1,1 milhão completamente imunizadas, ou seja, com as duas doses ou dose única. Outros 19 mil receberam a dose de reforço. 
Alguns governos já estão impondo restrições e exigindo o comprovante de vacinação para permitir acesso a alguns espaços. Na Bahia, o governador Rui Costa já declarou que estuda exigir a imunização para servidores, em concursos públicos e em locais de aglomeração, como estádios de futebol. 

Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Bahia está em 29% e de leitos clínicas em 16%. Em Salvador, o percentual é o mesmo nos dois tipos de acomodações, ou seja, 24%. A cabeleireira Adriana Souza, 26 anos, procurou o posto de vacinação depois da data. 

“Atrasei a vacina em duas semanas, mas nunca passou pela minha cabeça ficar sem me vacinar. Lá em casa todo mundo já se imunizou. Essa doença mata, não dá para vacilar”, disse. 

Interior 
O descaso com a vacinação também está sendo registrado em outras cidades da Bahia. Em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste, uma nota da prefeitura provocou uma corrida aos postos de vacinação, nesta quarta-feira (22). O comunicado convocava o público maior de 18 anos para se imunizar, mas um trecho chamou a atenção. “Essa é a última remessa que o município recebe para esse público específico, então atenção!”, diz a nota. 

O comunicado afirmava também que seriam disponibilizadas 4 mil doses para atender esse público, dava orientações sobre quais documentos levar e finalizava dizendo que vacina boa, é vacina no braço. A notícia rapidamente se espalhou pelas ruas da cidade que tem 92 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e houve mobilização. 

No começo da manhã, filas enormes se formaram na entrada dos postos de imunização com pessoas das mais variadas idades que estavam atrasadas para se vacinar. No entanto, depois da repercussão, a prefeitura divulgou uma nova nota afirmando que nesta quarta-feira haveria repescagem, mas que a vacinação vai continuar. 

Apesar de oficialmente faltarem 4 mil pessoas para se imunizar, a prefeitura frisou que a população é flutuante por conta da quantidade de pessoas que trabalha ou estuda e Luís Eduardo, mas mora em outras cidades. A última vez que o município recebeu novas doses foi na terça-feira, quando chegaram 4 mil para primeira dose e 5 mil para segunda. 

“Não iremos encerrar a vacinação. Mas precisamos avançar para oportunizar a vacinação para os adolescentes também. Então, fazemos um apelo à população que se vacine, pois ainda verificamos algumas pessoas com idade de 30 a 40 anos que ainda não foram vacinados e estão procurando a vacina agora”, explica a prefeitura. A cidade tem 17 mil adolescentes para imunizar. 

Confira os números de Salvador:
•    População atrasada para receber a 1ª dose – 66 mil;
•    População atrasada para receber a 2ª dose – 142 mil;
•    Idosos atrasados para receber a dose de reforço – 11 mil;
•    Adolescentes atrasados para receber a 1ª dose – 31 mil;
•    População vacinada com a 1ª dose – 2 milhões;
•    População vacinada com a 2ª dose – 1,1 milhão;
•    População vacinada com a dose de reforço – 19 mil;
*Fonte: SMS 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas