Teatro baiano escolhe os melhores do ano

entretenimento
17.10.2020, 07:00:00
No total, 58 espetáculos concorre em oito categorias (Divulgação)

Teatro baiano escolhe os melhores do ano

Pela primeira vez o Prêmio Braskem de Teatro acontece em formato de programa televisivo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Já escrevemos e lemos muitas vezes que este foi um ano de reinvenções. Mas quem ia imaginar que a maior premiação do teatro baiano aconteceria  no formato de um programa de televisão? Pois é. Realizado anualmente com uma dose de pompa no Teatro Castro Alves e muito aguardado pela classe teatral, o Prêmio Braskem de Teatro chega à 27ª edição neste domingo (18), às 20h, com transmissão ao vivo dos estúdios da TVE, na Federação. 

A ideia, explica o diretor artístico Gil Vicente Tavares, se consolidou à medida que a pandemia se agravou e os espetáculos com plateia ficaram na quarentena. A produção resolveu fazer a cerimônia, sem plateia e dentro dos protocolos, no Teatro do Irdeb, na sede da TVE.  “Já que a gente vai estar na TV, por que não assumir logo e fazer um programa de televisão?” questionou-se Gil, que pela primeira vez dirige um programa televisivo. 

Com o tema A História do Teatro em Tempos de Exceção e a Relação com o Tempo Atual, a cerimônia terá apresentação dos atores Marcelo Prado e Denise Correia e vai fazer uma reflexão sobre o impacto destes tempos difíceis para o próprio teatro.  "Não podíamos fugir, afinal estamos sem trabalho e a Lei Aldir Blanc, que não vai atender todo mundo, está muito atrasada”, critica Gil, referindo-se à lei que destina recursos emergenciais para a cultura.
 
Mas o espetáculo será esperançoso. “A pandemia trouxe uma desesperança por não saber o que vai acontecer. Mas queremos mostrar que ao longo da história da humanidade, o teatro já sofreu outros impactos por pandemias, guerras e questões religiosas e políticas. Chegou até a ser proibido, mas ressurgiu melhor e mais incrível. É o que vamos mostrar", resume Gil. O roteiro vai intercalar pequenas performances dos apresentadores com imagens de arquivo, depoimentos e claro, a premiação. E ainda homenagear Anselmo Serrat, Inaldo Santos, George Vassilatos, Fernando Neves e Chica Xavier, nome importantes para as artes cênicas, que morreram este ano.

Os indicados também terão protagonismo na cerimônia, afinal ser um dos destaques da cena teatral já é um lugar de prestígio. Por meio de depoimentos, eles vão demonstrar a representatividade dessa indicação para as carreiras deles. Em 2019, a comissão julgadora avaliou 58 peças teatrais baianas profissionais e inéditas, que estiveram em cartaz em Salvador entre 4 de abril e 23 de dezembro, escolhendo os concorrentes para as categorias de Espetáculo Adulto, Espetáculo Infantojuvenil, Texto, Direção, Ator, Atriz, Revelação e categoria Especial. Confira os indicados.
 

teatro
Sarauzinho da Calú concorre a Melhor Espetáculo Infantil (Foto: Divulgação)

Espetáculo Adulto
•         Holocausto Brasileiro
•         Última Chamada
•         Pele Negra, Máscaras Brancas
•         Sonho de uma Noite de Verão na Bahia
•         Vermelho Melodrama
 

Espetáculo Infantojuvenil

•    Sarauzinho da Calú
•         O Jabuti e a Sabedoria do Mundo
•         Tati Búfala
•         Eu vou te dar alegria
 
Texto
•         Gildon Oliveira e Jorge Alencar, por Vermelho Melodrama
•         Aldri Anunciação, por Embarque Imediato
•         Diego Araújo, por Holocausto Brasileiro
•         Gildon Oliveira, por Das Coisa Dessa Vida
•         Luis Antônio Sena Júnior, por Última Chamada

Direção
•         Onisajé (Fernanda Júlia), por Pele Negra, Máscaras Brancas
•         Thiago Romero, por Última Chamada
•         Jorge Alencar, por Vermelho Melodrama
•         João Miguel, por Das Coisa Dessa Vida
•         Diego Araújo, por Holocausto Brasileiro
 
Ator
•         Ricardo Fagundes, por Das Coisa Dessa Vida
•         Eduardo Gomes, por Vermelho Melodrama
•         Jarbas Oliver, por Sonho De Uma Noite De Verão Na Bahia
•         Israel Barreto, por O avô e o Rio / Revolução
•         Everton Machado, por Balada De Um Palhaço
 

 Atriz

•         Márcia Lima, por Holocausto Brasileiro
•         Edvana Carvalho, por Aos 50 Quem Me Aguenta?
•         Ana Mametto, por Sonho De Uma Noite De Verão Na Bahia
•         Véu Pessoa, por Vermelho Melodrama
•         Fernanda Beltrão, por Dois Pesos, Duas Medidas
 
 Revelação
 •         Elisleide Bonfim, pela atuação em Holocausto Brasileiro
•         Caio Rodrigo, pelo texto de As Cidades
•         Matheuzza, pela atuação em Pele Negra, Máscaras Brancas
•         Rodrigo Lélis, pela atuação em Osso
•         Cristina Leifer, pelo texto de Ensaios Sobre O Fim
 
Categoria Especial
 •         Aianne Bilitário e Marcos Lobo, pela cenografia de Escorpião
•         Luis Santana, pelo figurino e adereços de Vermelho Melodrama
•         Yacoce Simões, pela direção musical de Sonho de Uma Noite de Verão na Bahia
•         Euro Pires, pelo figurino de Aos 50 Quem Me Aguenta?
•         Erick Saboya, pela cenografia de As Cidades


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas