'Temos direito de sermos amadas', diz rapper negra atacada por namorar branco

em alta
27.09.2020, 08:46:00
Atualizado: 27.09.2020, 08:48:30

'Temos direito de sermos amadas', diz rapper negra atacada por namorar branco

Chamada de "palmiteira", cantora rebateu críticas que recebeu

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cantora carioca Ebony, de 19 anos, foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter com críticas por namorar um homem branco. "Temos direito de sermos amadas", rebateu a artista.

Na última semana, ela compartilhou que pela primeira vez havia recebido um buquê de flores, foi pedida em namoro e aceitou. Mas a raça do namorado incomodou algumas pessoas, que chamaram a rapper de "palmiteira".

A expressão "palmitagem" é usada de maneira perjorativa para pessoas negras que namoram brancos. O tema é controverso. 

"Mano eu to no trending a dois dias seguidos por estar namorando mas quase nunca fico quando lanço coisa nova. Vocês entendem que eu trabalho com música né?", escreveu Ebony.

A cantora classifica o episódio de machismo. "Isso é parte do que é ser fêmea no Brasil. As pessoas acham que têm posse sobre mim, sobre meu corpo, minha vida. Algo 'normal' dentro do machismo, dentro de atitudes que rodeiam a gente como mulher", avaliou, em entrevista ao Uol.

Ebony diz que não cabe a ela julgar o sentimento das pessoas. "Sei que as pessoas que se sentem ofendidas ou tristes por isso, sofreram o suficiente para se sentirem assim, então não cabe a mim dizer que elas estão erradas por sentirem. Eu acho que o mundo já nos negou amor demais, quem tiver disposto a dar, a gente merece se permitir ser amada", diz.

Apesar de dizer que já esperava críticas, o fato de passas dois dias nos temas mais comentados a surpreendeu. "Achei isso bem louco na verdade, mas o que esperar da internet? Eu sei o quanto relacionamentos inter-raciais podem ser incompreendidos, ainda mais hoje em dia, no meio de uma guerra racial".

Em vído no Youtube, em meio a dicas de maquiagem, Ebony comentou um pouco o assunto. "Quando você fala para uma mulher negra com quem ela deve se relacionar, temos que pensar em alguém que vai tratá-la bem. Honestamente, não acho que a cor vá interferir nisso", considera. "A cor interfere nos valores sociais que a gente recebe, no nosso tratamento, no dia a dia... Mas ela nunca vai interferir no nosso direito de escolha de quem a gente quer ser". A cantora relata que é adotada por bais brancos e que não é porque alguém é branco que será uma pessoa ruim. 

Em janeiro, a rapper venceu o prêmio Genius Brasil como revelação do ano.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas