Terceira fase da Operação Bordeline termina com 7 suspeitos presos e 3 mortos

salvador
19.05.2022, 17:29:00
(Tony Silva/Divulgação)

Terceira fase da Operação Bordeline termina com 7 suspeitos presos e 3 mortos

Alvos de mandados dessa fase da investigação cumpriam a função de puxa-bonde em quadrilha de homicidas

A terceira fase da Operação Bordeline, deflagrada pela Polícia Civil nesta quinta-feira (19), terminou com 7 suspeitos presos e outros 3, que resistiram às prisões e entraram em confronto com a polícia, mortos. A ação teve como objetivo de prender integrantes de grupos envolvidos em mais de 30 homicídios em Salvador e Região Metropolitana (RMS) e fez os investigadores terminarem o dia com 22 suspeitos alcançados em todas as etapas de apuração. 

De acordo com a delegada Andrea Ribeiro, diretora da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), apesar da operação ter sido deflagrada hoje, prisões de alvos já tinham sido cumpridas ao longo da semana. "Hoje deflagramos a terceira etapa, mas desde o início da semana acompanhamos estes alvos, prendendo, inclusive, três deles. No dia de hoje, especificamente, tivemos quatro presos e outros três que resistiram à prisão. Podemos fazer o balanço que, nessa fase, foram cumpridos 10 mandados”, informou, em coletiva de imprensa. 

Ainda segundo a delegada, os alvos desta fase da investigação eram tidos como líderes dos grupos que cometiam homicídios na expectativa de tomar territórios. "Esses indivíduos, que nós denominamos de puxadores de bonde, costumam ser aqueles que estão à frente das ações. Geralmente, os bondes são compostos por vários indivíduos, reunindo em torno de 15 a 30 homens. Os puxadores são os que conhecem o terreno de atuação, os mais destemidos e que coordenam tudo", explicou.

Duas das prisões foram realizadas na RMS, em Simões Filho. No curso da investigação, a polícia observou que existe uma relação entre os indivíduos de Valéria e Simões Filho. Os integrantes das duas áreas costumavam unir forças para se apoiar na logística de armamentos e tomar territórios. Apesar dos bons resultados, delegados da PC não descartam a possibilidade de existir uma quarta etapa, caso mais pistas sejam encontradas sobre essa organização.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas