Teste do Censo 2022 começa a ser realizado em Salvador

salvador
18.11.2021, 19:04:00
(Foto: Paula Fróes)

Teste do Censo 2022 começa a ser realizado em Salvador

Presidente do instituto visitou o bairro de Amaralina, onde ao menos 2 mil moradores serão entrevistados

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já deu início aos testes para a realização do Censo de 2022 e o presidente da instituição, Eduardo Rios Neto, visitou o bairro de Amaralina, em Salvador, na tarde desta quinta-feira (18). O intuito da entidade é acompanhar o andamento do Teste do Censo Demográfico na capital baiana, que está sendo realizado desde o início deste mês. 

O presidente informou que os testes são extremamente positivos e são realizados em todos os estados do Brasil e no Distrito Federal. Segundo ele, a ideia é fazer uma pequena simulação do Censo de 2022 com todo realismo necessário, cobrindo uma pequena área para se manter no limite operacional, mas realizando entrevistas com amostragem para o questionário longo e curto, além de testar todos os equipamentos e mecanismos da pesquisa.

“A ideia é que todos os problemas apareçam para que a gente possa corrigir a tempo, já que o planejamento do censo começa em 1°de junho do próximo ano”, declarou Rios Neto. 

Assim, durante o mês de novembro, os recenseadores - profissionais responsáveis por fazer o trabalho da coleta de dados - vão percorrer o bairro de Amaralina e visitar todos os cerca de 2.000 domicílios do local e, em cada um deles, será entrevistado ao menos um morador. A estimativa do IBGE é contar uma população de aproximadamente 7.000 pessoas. Segundo o presidente, a instituição enfrenta um desafio muito grande em Amaralina porque a região possui muitos prédios pequenos e sem porteiros, sendo necessário entrar em contato direto com os moradores que, por sua vez, possuem uma certa resistência em atender o IBGE. “Está sendo um desafio muito grande, mas, ao mesmo tempo, um teste muito bom. Nós não queremos que seja fácil, não queremos jogar a partida para ganhar, queremos jogar para aprender e melhorar”, declarou o presidente. 

De acordo com Rios Neto,  o censo é extremamente necessário, sendo obrigatória sua realização a cada 10 anos. O último foi feito em 2010, com previsão de ser realizado em 2020, mas foi adiado para 2021 devido a pandemia da Covid-19. Neste ano, os recursos orçamentários previstos para o estudo foram cortados pelo Congresso na aprovação do Orçamento Federal, por isso que, com atraso de dois anos, o censo será realizado somente em 2022. Vale lembrar que o IBGE deveria ter feito uma contagem populacional em 2015 e não fez por razões orçamentárias.

“O censo que realiza a estatística da população municipal e isso afeta diretamente na distribuição de recursos do Fundo de Participação dos Municípios [forma de repasse de verbas pela União para os municípios brasileiros, cujo percentual, dentre outros fatores, é determinado principalmente pela proporção do número de habitantes estimado anualmente pelo IBGE]. Essa estatística acontece todo ano, mas ela sempre vai depender da qualidade do último censo e como o último estudo foi feito em 2010, a qualidade das nossas estimativas, mesmo com todo rigor que ela é feita, acaba sendo muito afetada. Além disso, o censo também impacta quando a gente fala, por exemplo, que a cobertura vacinal está em 80%, mas, na verdade, a gente não sabe essa porcentagem porque o censo está atrasado”, explicou. 

O presidente do IBGE também destacou os principais problemas para a realização do Censo Demográfico em 2020. Segundo ele, o principal desafio é ter que torcer para que os recursos cheguem na hora certa para que a instituição cumpra com o cronograma previsto. “Além disso, está cada vez mais difícil entrevistar todo mundo e o censo precisa fazer isso. Então, nós temos um problema de cobertura. Amaralina é um bom teste para isso, já que está sendo um grande desafio passar em todos apartamentos dos prédios pequenos. E esse problema não existe somente em edifícios menores, nos grandes condomínios, a privacidade não permite que a gente interaja com os moradores”, concluiu o presidente do instituto. 

Vale ressaltar que esta é a primeira vez que ocorre um teste do Censo na Bahia. No Censo 2022, pela primeira vez, a cidade de Salvador terá informações oficiais e detalhadas para seus 170 bairros.

* Com supervisão da subchefe de reportagem Monique Lôbo

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas