Time que mais finaliza errado na Série B, Bahia liga alerta no ataque

e.c. bahia
17.05.2022, 05:00:00
Referência do ataque na ausência de Rodallega, Davó ainda não balançou as redes pelo Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Time que mais finaliza errado na Série B, Bahia liga alerta no ataque

Tricolor tem encontrado dificuldade para fazer os gols

O Bahia iniciou bem a Série B do Brasileirão. Em sete jogos, o tricolor soma 13 pontos e ocupa a terceira colocação, dentro do grupo de acesso à primeira divisão. Porém, mesmo com a boa fase, o sistema ofensivo tem dado motivo para desconfiança.

O alerta sobre ineficiência dos atacantes parece até um pouco confuso, já que o Esquadrão é dono do melhor ataque da competição, com nove gols em sete jogos. Mas, com exceção da goleada sobre o Londrina, por 4x0, na 6ª rodada, o time apresentou muita dificuldade para balançar as redes adversárias.

Na derrota para o Vasco, domingo (15), por 1x0, em São Januário, o tricolor até conseguiu exercer certo domínio sobre o adversário, mas repetiu velhos erros e não transformou em gols as chances criadas.

De acordo com o SofaScore, site que analisa os dados dos jogos, o Bahia finalizou 21 vezes contra oito do Vasco. O problema é que enquanto o time carioca balançou a rede no único chute que mandou em direção ao gol, pelo lado baiano faltou pontaria. Os homens de frente tricolores acertaram somente quatro bolas na direção da meta 
cruzmaltina, enquanto nove foram para fora e outras oito acabaram bloqueadas pelos defensores.

A dificuldade para fazer gols tem sido uma marca dos comandados do técnico Guto Ferreira neste início de Brasileirão. Basta observar os números. Segundo dados do site FootStats, também especialista nos números do futebol, o Bahia é o terceiro time que mais finaliza na Série B, com 108 chutes para o gol: média de 15,4 por jogo. O clube fica atrás só de Náutico (116) e Criciúma (110).

No entanto, o Bahia é a equipe que mais erra o alvo no torneio. Dos 108 chutes arriscados, 78 foram para fora. Ou seja, 72,2% das finalizações não exigiram participação do goleiro adversário. 

Após a derrota para o Vasco, Guto Ferreira criticou o desempenho ofensivo no jogo. “O que vale é bola na rede. Não adianta nada criar mais situações. Acho que o Bahia fez uma boa partida. Temos nos precipitado um pouco nos lances de finalização”.

Esperança no artilheiro
Dos nove gols que o Bahia marcou, quatro foram anotados por atacantes: dois de Rildo e dois de Vitor Jacaré. Sem Rodallega, principal jogador da equipe na temporada, Matheus Davó foi alçado ao posto de referência ofensiva, mas não conseguiu engrenar. O atacante ainda não balançou as redes.

A boa notícia para os tricolores é que o Bahia mantém a expectativa de contar com Rodallega na partida contra a Ponte Preta, sexta-feira (20), às 21h30, na Fonte Nova. Em fase final de recuperação do estiramento que sofreu na estreia do time na Série B, ele está sendo preparado para atuar por alguns minutos contra o time paulista.

“Temos cinco dias para trabalhar em cima dele. Ele ainda não fez nenhum treino com o grupo, deve fazer essa semana. E aí vamos conversar para ver, primeiro, se ele vai ser liberado nessa partida. Depois, se liberado, quanto pode jogar. Se tiver ele, é uma situação. Se não tiver, é outra situação”, disse Guto.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas