Traficante do cartel de Medellín preso no Rio estava no Brasil há mais de 5 anos

brasil
03.05.2021, 11:33:00
Atualizado: 03.05.2021, 11:38:04

Traficante do cartel de Medellín preso no Rio estava no Brasil há mais de 5 anos

Ele será extraditado para os EUA, onde já foi condenado por tráfico de drogas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O traficante colombiano Efe Sullivan Loaiza Durango, 36 anos, preso no domingo (2) em Duque de Caxias, no Rio, estava morando no Brasil havia mais de cinco anos. Durango faz parte do cartel de Medellín.

Segundo o Extra, o nome do traficante aparece em lista publicada em julho de 2015 no Diário Oficial da União com autorização para permanecer no país, dada pela Secretaria Nacional de Justiça.

(Foto: Divulgação)

Apontado pela Polícia Federal como um dos coordenadores da venda de cocaína e outras outras da Colômbia para os EUA, o traficante tinha negócios no Rio.

Ele é sócio-administrador de uma empresa de montagem de andaimes em Duque de Caxias. Mas o "grosso" do dinheiro dele no Brasil vinha da agiotagem, acredita a PF. Além disso, mesmo foragido, ele continuou traficando drogas. 

Em 2019, Durango foi condenado por tráfico de drogas e associação criminosa nos EUA. Desde então, estava na lista da Difusão Vermelha da Interpol, sendo procurado.

Durango chamou atenção da PF ao tentar regularizar a permanência no Brasil. Agentes brasileiros fizeram buscas e descobriram que ele era foragido dos EUA. Eles pediram então a prisão, que teve mandado expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O traficante está preso no Rio, mas será extraditado para os EUA, para cumprimento da pena.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas