Transmissão de coronavírus por embalagens e alimentos é 'muito improvável', diz FDA

em alta
22.02.2021, 16:55:52
Atualizado: 22.02.2021, 17:13:40
(Foto: IBGE/Divulgação)

Transmissão de coronavírus por embalagens e alimentos é 'muito improvável', diz FDA

Órgão regulador nos EUA com papel equivalente à Anvisa divulgou resultado de pesquisa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pesquisadores dos Estados Unidos afirmaram que é muito improvável a transmissão de novo coronavírus por alimentos ou por suas embalagens. O comunicado conjunto foi feito pela FDA (Food and Drugs Administration), o equivalente à Agência brasileira de Vigilância Sanitária (Anvisa), e pelo USDA (Departamento de Agricultura dos EUA).

Trata-se de uma boa notícia diante da pandemia que já provocou quase 2,5 milhões de mortes no mundo.

"Os consumidores podem ter a tranquilidade de que continuamos a acreditar, com base em nosso entendimento das informações científicas confiáveis atualmente disponíveis e apoiados em um consenso científico internacional, que os alimentos consumidos e as suas embalagens têm mínima probabilidade de espalhar a SARS-CoV-2 ", afirmou a FDA, em comunicado da comissária Janet Woodcock.

O texto lembra que a covid-19 "é uma doença respiratória transmitida de pessoa para pessoa, diferentemente dos vírus transmitidos por alimentos ou gastrointestinais, como o norovírus e a hepatite A, que costumam deixar as pessoas doentes por meio de alimentos contaminados".

Por isso, a FDA argumenta que "dado que o número de partículas de vírus que teoricamente poderiam ser captadas tocando uma superfície seria muito pequeno e a quantidade necessária para infecção por inalação oral seria muito alta, as chances de infecção ao tocar a superfície da embalagem de alimentos ou comer alimentos são consideradas extremamente baixas".

Tanto a FDA quanto o USDA fizeram essa atualização baseada em um consenso científico internacional que garante que o risco de contaminação por alimentos ou suas embalagens é extremamente baixo.

"Considerando os mais de 100 milhões de casos de covid-19, não vimos evidências epidemiológicas de alimentos ou embalagens de alimentos como a fonte de transmissão da SARS-CoV-2 para humanos", afirmou o comunicado. Com informações são da revista Época.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas