Trecho de ciclovia com 12 km de extensão é entregue na manhã deste domingo (1°)

salvador
01.07.2018, 12:29:00
Atualizado: 01.07.2018, 16:53:16
Foto: Manu Dias/ GOVBA

Trecho de ciclovia com 12 km de extensão é entregue na manhã deste domingo (1°)

Ciclovia começa no Hospital Sarah e vai até a Estação Mussurunga do metrô

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As obras de urbanização do novo canteiro central da Avenida Paralela tiveram início em junho de 2016 e foram concluídas em junho deste ano. Como parte das intervenções, foram construídas 12 km de ciclovia e pista de corrida, que vão da Hospital Sarah até a Estação Mussurunga do metrô. O trecho foi inaugurado na manhã deste domingo (1°), embora já estivesse em utilização desde o mês de maio.   

Mesmo antes de todo o trecho ser concluído, no entanto, a autônoma Terezinha Gargur, 70, já rodava com sua magrela pela pista. À medida que as obras avançavam, e alguns trechos eram liberados, a ciclista aproveitava para praticar uma paixão de infância: o ciclismo.

"É importante pra tudo, tanto pro lazer quanto para o trabalho. Isso facilita muito. Espero que as pessoas aproveitem isso aqui, assim como eu. Para mim, o trecho é continuação da minha casa", diz a autônoma que mora no bairro do Imbuí. 

Nos últimos meses, Terezinha fez o mesmo percurso, pedalando sempre do bairro de Pernambués até a região do CAB, completando cerca de 21 km, entre idas e voltas. Agora, comemora, terá um trecho maior a percorrer.

Estrutura
A ciclovia recém-inaugurada vai ter ligação com outras duas: as das avenidas Pinto de Aguiar e Orlando Gomes. Ao longo de todo o percurso, foi construído piso em concreto armado pigmentado, com largura de 2,60 metros. Já a pista de caminhada e corrida conta com 10 cm a menos de largura. 

A professora Maria Eunice, 57, utiliza a pista de corrida para se exercitar aos domingos. Ela sai da cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS), só para utilizar o espaço. 

"É uma alternativa a mais que nós temos. Ficou muito bom. Eu, por exemplo, chego aqui de metrô, entro na estação Aeroporto e desço em Mussurunga, onde saio para caminhar até Pernambués completando 12 km", conta Maria. 

Há durante todo o trajeto iluminação cênica e direcional em LED, com postes a cada 22 m. As pistas também são integradas a todas as passarelas que ligam as estações de metrô.

Inclusive, nas estações, são permitidas as entradas de bicicletas aos sábados, a partir das 14h e, nos domingos e feriados, durante todo o dia. Só há vagas para duas bicicletas por viagem que devem ser colocadas no último carro do metrô. 

"Isso é bom para os amantes de bicicleta e para aqueles também que querem cuidar da saúde. É importante que as pessoas possam se aventurar a pedalar nas grandes avenidas que nós estamos construíndo. Vamos buscar estender isso, não só aqui em Salvador, mas como em toda a Bahia, em parcerias com os municípios, incentivando uma infraestrutura que estimule a prática saudável", disse o governador Rui Costa. 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas