Três mulheres da mesma família morrem de covid em Ilhéus; outros 2 estão internados

bahia
14.03.2021, 19:40:00
Atualizado: 14.03.2021, 19:49:34

Três mulheres da mesma família morrem de covid em Ilhéus; outros 2 estão internados

Além disso, bebê de quatro meses também se contaminou com o coronavírus. No total, seis pessoas da família contraíram o vírus

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em meio ao aumento do número de mortes por covid-19 no Brasil, histórias de famílias devastadas pela doença seguem comovendo.

No começo do mês, o Correio noticiou a morte de cinco pessoas da mesma família, em 23 dias, vítimas da covid-19 em Brumado, no Centro-Sul da Bahia.

Desta vez, a tragédia foi em Ilhéus, região sul do estado. Seis pessoas de uma mesma família se contaminaram com o coronavírus, três delas morreram de covid-19 e duas estão internadas em estado grave.

Thyarê (1º e 2º quadro) morreu na sexta; Seu marido (2º quadro) e seu pai (4º quadro) estão internados; Mãe da professora (3º quadro) e avó também morreram (Fotos: Reprodução)

A professora Thyarê Araújo, de 33 anos, teve o quadro agravado no último domingo (7) e morreu na última sexta (12), após cinco dias de internação. Na semana anterior, a avó e a mãe da professora também morreram vítimas da covid-19, após mais de 80% do comprometimento dos pulmões de ambas.

No dia seguinte à internação de Thyarê, seu esposo, Carlos Moreno, de 36 anos, foi internado na UTI do Hospital São José. O pai da professora também está internado. Até a noite de sábado (13), o estado de saúde dos dois era considerado grave.

A filha de Thyarê e Carlos, Agnes, de apenas quatro meses, também se contaminou com o coronavírus. Ele está em casa sob os cuidados da tia, Maiquele dos Santos.

Em entrevista ao UOL, Maiquele disse que a família manteve os cuidados sanitários contra o coronavírus e lamentou a tragédia familiar.

"Sempre foram tomados todos os cuidados. Com a bebezinha também, desde que nasceu, durante toda a gravidez foram tomados todos os cuidados. É um sentimento inexplicável mesmo. A gente ainda não sabe descrever tudo isso que vem acontecendo. Estamos em pedaços. A família está sofrendo demais. "É um sentimento de extrema tristeza. Parece que nós estamos vivendo um pesadelo. Perder várias pessoas assim de uma família. Realmente, o que define isso é uma tristeza profunda. A gente para e fica pensando: 'Meu Deus, como isso pode acontecer?”
 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas