Tristes com o fim do Carnaval, foliões tentam prolongar a festa

carnaval
06.03.2019, 06:05:00
O engenheiro mecânico aposentado Moacir Sacramento, 60 anos, foi curtir o último dia de Carnaval com a filha, a estudante Amanda Sacramento, 16 (Foto: Laura Fernandes/CORREIO)

Tristes com o fim do Carnaval, foliões tentam prolongar a festa

'O Carnaval passou rápido demais', lamentou uma foliã no último dia

Os isopores dos vendedores ambulantes já estavam sendo esvaziados, quando o engenheiro mecânico aposentado Moacir Sacramento, 60 anos, chegou na Barra para curtir o último dia de Carnaval com a filha, a estudante Amanda Sacramento, 16. Já passava da meia-noite quando os dois, vindos do Itaigara, chegaram no circuito Dodô para tentar prolongar um pouco mais o fim da folia.

“O Carnaval está acabando e eu estou triste. Essa festa é a alegria do povo, é contagiante”, justificou Moacir, que esse ano foi para a Mudança do Garcia, para o Campo Grande e estava cumprindo sua terceira etapa ao lado da filha, estreante na folia. “Ainda bem que o Carnaval se prolonga na Quarta-Feira de Cinzas, né? Se estiver bom, a gente fica até amanhã”, riu o folião, pensando em ver o tradicional arrastão que acontece nesta quarta-feira (6).

Apesar de sua mãe, que é religiosa, condenar o Carnaval, Amanda aprovou a folia apresentada pelo pai e disse que ano que vem quer mais. “Achei a energia muito boa e ano que vem quero voltar”, elogiou. “A mãe dela condena o Carnaval, mas ela tem o livre arbítrio para escolher o que quer”, endossou Moacir, orgulhoso com a nova foliã.

Mais adiante, a auxiliar administrativa Maria Luísa de Melo, 20, estava arrasada com o fim da festa, “porque não tem Carnaval melhor do que o de Salvador”. “É a única vez no ano que a cidade se ama e se abraça e é quando me sinto mais baiana do que o normal. Uma pena que agora só tem Carnaval no ano que vem”, lamentou, enquanto curtia os últimos minutos com as amigas.

As namoradas Victória Reis e Ana Cecília Cerqueira estavam “muito tristes, porque o Carnaval passou rápido demais” (Foto: Laura Fernandes/CORREIO)

Correndo para pegar a festa na torre eletrônica do Farol da Barra, no intervalo de um trio e outro, as estudantes e namoradas Victória Reis, 19, e Ana Cecília Cerqueira, 19, só pararam para dizer ao CORREIO que estavam “muito tristes, porque o Carnaval passou rápido demais”. “É uma energia muito boa e por ser só uma vez no ano, a gente cria muita expectativa, né? Fica sempre um gostinho de quero mais”, explicou Victória.

Depois de vender todas as bebidas que tinha em seu isopor, o vendedor Luiz Henrique, 24, virou folião na terça-feira de Carnaval. “É muito bom! Agora só vou dormir amanhã e me preparar para trabalhar no arrastão. Estou ansioso para 2020, já. São 365 dias de espera”, contou, sem esconder a ansiedade. “Nessa festa a gente encontra pessoas boas que incentivam a gente a viver, sabe? A melhor frase de Carnaval foi a desse ano: o mundo escolheu Salvador”, finalizou, sorrindo.

As amigas Maria Luísa de Melo e Talita Montanhas lamentaram o fim da folia
As amigas Maria Luísa de Melo e Talita Montanhas lamentaram o fim da folia (Foto: Laura Fernandes/CORREIO)
O vendedor ambulante Luiz Henrique disse que já está "ansioso para 2020"
O vendedor ambulante Luiz Henrique disse que já está "ansioso para 2020" (Foto: Laura Fernandes/CORREIO)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas