Turista iraniano morre no Rio após cair de patinete e ser atropelado

brasil
06.12.2019, 11:01:00
Atualizado: 06.12.2019, 11:01:21

Turista iraniano morre no Rio após cair de patinete e ser atropelado

Arshad Asadi Banran, 31 anos, estava em lua de mel no Rio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um turista iraniano que estava em lua de mel no Rio morreu atropelado depois de cair de uma patinete na Avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul do Rio. Arshad Asadi Banran, de 31 anos, chegou a ser levado ao Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com testemunhas, Arshad trafegava pela ciclovia da orla, na altura da Rua Francisco Sá, no sentido Leme, por volta das 10h30 da manhã desta quinta-feira, 5. Aparentemente ele se desequilibrou ou esbarrou na calçada e foi arremessado na pista da Atlântica, onde foi atropelado. A Prefeitura comunicou a morte à embaixada do Irã no Brasil e aguarda a chegada de um representante diplomático do país para a liberação do corpo.

A Polícia Civil instaurou inquérito na 13ª Delegacia de Polícia (Copacabana) para investigar as circunstâncias da morte. Policiais vão ouvir testemunhas e buscar por imagens de câmeras de segurança da região do acidente. A identidade da motorista que atropelou o iraniano não foi divulgada. A polícia informou, no entanto, que ela prestou socorro e foi ouvida.

A Lime, empresa responsável pela patinete usada pelo turista, divulgou uma nota lamentando o acidente. "Estamos tristes em saber dessa tragédia no Rio de Janeiro e nossos pensamentos estão com a família e amigos da vítima durante esse momento extremamente difícil. Iniciamos a investigação imediatamente após o incidente e estamos em contato com as autoridades locais para apoiar de todas as formas cabíveis".

Regulamentação
Em junho passado, a Assembleia Legislativa do Rio aprovou uma regulamentação para o uso de patinetes elétricos na cidade. De acordo com as regras, a empresa que aluga os veículos deve fornecer capacetes aos condutores. O uso de patinetes só é permitido em ciclovias e o condutor não pode ultrapassar os 20km/h.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas