Um anjo torto tira as cascas do meio do caminho

coluna vertebral
30.12.2018, 05:00:00

Um anjo torto tira as cascas do meio do caminho


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

[Escorregar em cascas de banana jogadas ao léu pelas mãos incivilizadas de nossas gentes é a mais trivial das pequenas tragédias do cotidiano. Apenas 1 cair e 1 levantar com 1 sorriso amarelo estampado no rosto e seguir em frente. Em casos mais radicais pode-se quebrar algum osso. É possível alguém ter morrido em consequência de incidente de percurso dessa natureza, mas, tantas megatragédias abrindo as asas sobre nós, nunca vira notícia digna de registro pelos datenas das silvas. Mas, ó glória!, se transformou em clássica marchinha carnavalesca, parceria dos compositores Mirabeau e Ayrton Amorim,  dos anos 1950: – Foi numa casca de banana que pisei, pisei, Escorreguei, quase caí, Mas a turma lá de trás gritou: Chi! Tem nêgo bêbo aí!]

Não se escorrega apenas em cascas de banana. Umbus – fruta típica do sertão baião -, jacas, mangas, carambolas, maçãs, uvas et al também podem gerar essas pequenas tragédias do cotidiano com suas cascas jogadas ao léu pelas mãos incivilizadas de nossas gentes. Desde meninote o senhor Nicolau as percebe pelos caminhos dele e pelos caminhos de de outrem, e, detalhe revelador do anjo da guarda que o habita, ele as recolhe. Ou melhor, usa a ponta do sapato, e empurra a casca de seja que fruta for para área lateral onde  pés de pedestres não pisarão. Evita assim que mulheres gorduchas, crianças peraltas, velhos caqu& eacute;ticos e quem mais passar pelo local onde o dejeto deletério foi largado escorreguem, caiam e quebrem as caras.

Faz isso há tanto tempo e em qualquer lugar que virou hábito, mania, transtorno obsessivo compulsivo (toc), tique nervoso, seja lá o jeito com que se queira definir o bom hábito, boa mania, bom transtorno obsessivo compulsivo (toc), bom tique nervoso do senhor Nicolau. Talvez o senhor Nicolau seja um anjo torto drummondiado por Drummond.

Em momentos nos quais mergulha em crise profunda sobre a inutilidade da vida besta e torta que leva, tira do baú essas boas ações recorrentes, saca do coldre lado panglossiano e se consola: - Fica frio, senhor Nicolau. Você não viveu em vão, cara! Pensa na quantidade de vidas que você salvou.

O lado normal, e descrente do senhor Nicolau duvida: - Jura?  Será que salvei pelo menos uma vida?

O setor panglossiano do senhor Nicolau dispara:  - Com certeza, cara!

[Este anjo torto teve muito o que fazer nestas últimas semanas. Habitante de urbe sertaneja na qual jogar cascas de frutas no chão é um dos esportes preferidos, pode ter salvado muitas almas de letais traumatismos cranianos. Já pensou em levar vassoura para fazer essas ações meritórias. Talvez ainda faça isso nos tempos por vir. Por enquanto mantém o modus operandi adotado deste a infância e empurra com destreza para lugares inalcançáveis as cascas das frutas da estação – o que vier ele traça, ele empurra, cheio de vigor, com a ponta do bico da chuteira].

Em noites de insônia e de depressão profundas o senhor Nicolau recebe a visita do duplo  panglossiano que o habita, e ouve: - Você vai direto pro céu, incréu!

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas