Um ano de esperança

artigo
19.01.2022, 05:00:00

Um ano de esperança

Há um ano Salvador recebeu uma injeção de esperança ao assistir a primeira dose do imunizante contra a Covid-19 ser aplicada no braço da enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho. Um ano depois, entre planos, estratégias, erros, acertos e mais de 4 milhões de doses aplicadas, considero importante olhar para trás e refletir sobre a maratona que seguimos vivendo para que as vacinas cheguem a todos os soteropolitanos.

Apesar do marco, o trabalho de imunização em Salvador não começou em 19 de janeiro de 2021, mas muito antes disso, quando iniciamos a montagem das estratégias que envolveram milhares de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). E assim como tudo que é novo, acertamos, mas também erramos, e reconhecendo os erros, nos dedicamos a ajustar os procedimentos para garantir que das regiões centrais às mais periféricas tivessem acesso à vacina.

Inovar frente a um desafio completamente novo foi fundamental. Para isso investimos em tecnologia criando ferramentas como o Filômetro, Vacinômetro, o Cadastro de Comorbidades, a Vacinação com Hora Marcada e o Cadastro do Vacina Express (a domicílio), facilidades que foram de suma importância para facilitar o acesso do povo à vacina. Estratégias como vacinar nas Prefeituras Bairro, escolas, mercados, em pontos drive thru, estações de metrô e ônibus, praças, junto aos mutirões foram essenciais para os bons resultados que alcançamos.

Aqui devo reservar um espaço para agradecer a cada colaborador que sob sol ou chuva, trabalhou além do limite do seu expediente, enfrentando todas as adversidade do atendimento ao público e sem jamais deixar de doar 100% do seu empenho à nobre missão de salvar vidas. Foi através deste esforço, que um ano depois somamos 4.828.969 de doses aplicadas em nosso povo.

Para deixar claro o impacto dessa mega operação de imunização, obtivemos nesse período uma expressiva redução das internações de pessoas apresentando quadro graves e também a redução de óbitos. A partir da vacina, idosos que desde a primeira hora eram apontados como grupo de risco, passaram a experienciar sintomas leves, mostrando a todos, a eficácia da vacina. 

Apesar dos importantes resultados que seguem alimentando nossa esperança em dias melhores, lamentamos profundamente a perda de mais de 7 mil baianos que pereceram para a Covid-19 desde o início da pandemia. Movidos pela saudade daqueles que perdemos e pela determinação de prevenir novas vítimas, que nos comprometemos a seguir lutando com máxima dedicação no combate à pandemia. Lembrando que essa guerra deve ser travada por todos nós. Mantenhamos os cuidados básicos como usar máscara, higienizar as mãos e completar o ciclo vacinal de acordo com a orientação dos órgãos competentes. Com saúde e corações cheios de esperança, tenho certeza que juntos venceremos este desafio.

Leo Prates é secretário Municipal de Saúde de Salvador

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas