Unidade que acolherá até 50 idosos em situação de rua é inaugurada em Amaralina

salvador
19.03.2020, 18:04:00
Atualizado: 19.03.2020, 18:13:35
(Foto: Valter Pontes/CORREIO)

Unidade que acolherá até 50 idosos em situação de rua é inaugurada em Amaralina

Local será ponto de apoio para grupo de risco do coronavírus

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As pessoas em situação de rua de Salvador ganharam um novo abrigo com 50 vagas. A nova Unidade de Acolhimento Institucional (UAI), no bairro de Amaralina, foi inaugurada nesta quinta-feira (19) pelo prefeito ACM Neto e é voltada exclusivamente para idosos, grupo de risco do coronavírus. Localizada na Rua Visconde De Itaborahy, a unidade foi pensada inicialmente para ser um abrigo familiar, mas teve o público-alvo alterado em função da pandemia de Covid-19.

Próxima ao Quartel de Amaralina, a UAI logo receberá os moradores em situação de rua que têm sido abordados por técnicos da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). A pasta tem buscado sensibilizar esse público para a necessidade de desocupar as ruas neste momento para evitar a proliferação e contaminação pelo novo vírus. Destas 50 vagas, 34 são para homens e 16 para mulheres que atualmente vivem em situação de vulnerabilidade e risco social. 

De acordo com a prefeitura, a princípio será feita uma triagem junto à Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para verificar as condições de saúde como medição de temperatura e observação de tosse a fim de evitar que pessoas mais saudáveis fiquem lado a lado de pessoas que apresentem algum sintoma relativo à doença. 

“Isso vai servir também para, de repente, detectar se algum morador de rua está com coronavírus, e aí ele vai seguir o protocolo normal de atenção e cuidado”, afirmou ACM Neto.

(Foto: Valter Pontes/Secom)

A secretária da Sempres, Ana Paula Matos, explica que aqueles que estiverem bem serão imediatamente encaminhados para a unidade. Já aqueles que não quiserem ir para as unidades de acolhimento terão à disposição alimentação e acesso a contêineres, a serem instalados nos bairros de Mares e Barroquinha, nos mesmos moldes dos disponibilizados no período do Carnaval, com oferta de produtos de higiene para que os cidadãos possam fazer o próprio asseio. 

“A determinação é de que acolher todos aqueles que quiserem sair da rua. Não temos o poder de polícia de tirá-los da rua, mas temos a condição de sensibilizar e mostrar que elas vão ter um acolhimento com alimentação, segurança para dormir, acompanhamento médico, psicológico, assistência social, então não tem porque insistir em continuar na rua”, complementou o prefeito.

Estrutura 

A unidade tem capacidade para atender a 50 pessoas em situação de rua e possui 13 quartos, todos com suítes, camas de casal e solteiro. O investimento anual é de um milhão de reais com a unidade. Além do acolhimento de idosos, adultos e famílias em situação de rua, a UAI Amaralina tem, ainda, local para crianças e adolescentes desenvolverem atividades lúdicas e espaço "Pet" para famílias com animais. 

Os abrigados são acompanhados por equipe multidisciplinar composta por psicólogo, assistente social, educadores sociais, entre outros, e funcionará 24h por dia. Entre as ações que serão desenvolvidas na UAI estão a inserção de em programas de capacitação, construção de plano individual de atendimento, orientação sócio familiar, diagnóstico socioeconômico, articulação da rede de serviços socioassistenciais e com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos.

“Os assistidos são encaminhados através das equipes de abordagem social, dos Centros de Atendimento Especializado à População de Rua (Centros Pop) e pelo Núcleo de Ações Estruturadas para População de Rua (Nuar). Neste momento, estamos com Termo de Referência para compra de vagas em hoteis, caso seja necessário ter mais quartos para abrigar essas pessoas”, relatou Ana Paula Matos.

Mais vagas

Além disso, a gestão municipal anunciou a criação de mais 245 novas vagas para acolhimento dos desabrigados por abandono, migração ou ausência de residência, pessoas em trânsito e sem condições de se sustentar. Do total, 35 estarão localizadas em uma unidade em Cajazeiras e outras 160 vagas vão ser ofertadas na Cidade Baixa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas