‘Validar uma realidade de perda é muito difícil’, diz mãe de Henrique Ribeiro

salvador
12.11.2021, 19:58:00
(Marina Silva/CORREIO)

‘Validar uma realidade de perda é muito difícil’, diz mãe de Henrique Ribeiro

Família se apega na fé para lidar com partida precoce do produtor baiano

Nesta sexta-feira (12), faz uma semana dos falecimentos do baiano Henrique Ribeiro e da cantora Marília Mendonça, em um acidente de avião que foi um baque para o Brasil e teve um impacto ainda maior para a família do produtor que, na manhã de hoje, recebeu amigos e familiares na missa de sétimo dia celebrada para ele na Igreja do Bonfim, em Salvador. 

O passar dos dias, no entanto, não tem reduzido a dor que o falecimento de Henrique trouxe para o coração da família, que tenta conviver com a situação, como conta Mariza Bonfim Ribeiro, 62, mãe do baiano. 

"Viver esse momento é muito difícil para qualquer mãe, filho é a dor maior. Durante esses sete dias, o pior momento é quando a gente acorda e tem a sensação de que vamos ter o físico de Henrique conosco. A gente vai fazendo valer a realidade. Porém, validar uma realidade de perda é muito difícil", relata.

Ainda segundo Mariza, a principal aliada para o núcleo familiar de Henrique tem sido a fé, coisa que eles não abrem mão.

"Nós estamos muito fortalecidos na nossa fé. Aprendemos muito na Igreja Católica, nos centros espíritas e não somos desgarrados de Deus, sempre tivemos ele conosco. A dor é grande, mas nossa fé é maior. Então, a gente sobrevive", fala.

Prima do produtor, Larissa Ribeiro, 36, também destaca o papel da fé no processo de aceitação da partida do parente. 

"É uma perda que ninguém espera, ainda mais na idade que foi e da maneira que foi. Mas, graças a Deus, a família tem sido bastante forte. Talvez por serem espíritas têm o entendimento que aqui é só uma passagem, a confiança das pessoas de que Henrique está em um lugar bom ajuda”, explica.

Outro fato que tem auxiliado no momento de luto é a forma como as pessoas têm homenageado Henrique e a consciência de que ele era uma pessoa que deixou amor por onde passou. 

“Ele fez um papel maravilhoso. É o que conforta os corações dos familiares e amigos. E, como eles temos visto tantas homenagens e como ele era amado por todos, isso tem confortado bastante as pessoas mais próximas à ele", ressalta Larissa.

*Com orientação da subeditora Fernanda Varela

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas