Vazamento de óleo em duto da Petrobras atinge região em Candeias

bahia
22.12.2020, 14:00:00
Atualizado: 22.12.2020, 14:00:25
(Divulgação/Petrobras)

Vazamento de óleo em duto da Petrobras atinge região em Candeias

Equipes da empresa estão trabalhando para remover o material

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um material oleoso vazou de um duto da Petrobras em Candeias, na Região Metropolitana de Salvador, atingindo uma rua e uma área de pasto da cidade, no domingo (20). 

O incidente aconteceu em uma região conhecida como Massuí, incluindo uma fazenda particular. A Petrobras diz em nota que não houve vítimas e que equipes trabalham para conter o vazamento e limpar a área atingida. Barreiras foram usadas para conter o avanço do óleo. Máquinas estão sendo usadas para sugar o material.

A operação do dito foi suspensa logo após o acidente. Ainda não se sabe a causa do vazamento, que está sendo apurada, segundo a empresa. "A Petrobras identificou, na tarde deste domingo (20/12), um vazamento de emulsão oleosa no campo de Massuí, localizado no município de Candeias, estado da Bahia. De imediato, a operação do duto envolvido foi suspensa e equipes de resposta foram acionadas para contenção e limpeza da área. Não houve vítimas e a causa da ocorrência está sendo apurada. Os órgãos responsáveis foram notificados e acompanham o andamento das ações", diz a nota.

De acordo com a prefeitura de Candeias, equipes da Defesa Civil foram acionadas para isolar a área e após a remoção do material testes serão feitos no solo atingido. Só então será possível verificar algum impacto ambiental.  "Estamos conversando com a Petrobras, para poder minimizar o impacto. Já solicitamos de imediato a remoção do material e logo depois da removação vamos solicitar o teste de solo, para saber se compreendeu algum lençol freático. O prejuízo ambiental ainda está sendo estudado", disse Tony Gleidson, secretário de Meio Ambiente, à TV Bahia.

O Inema também foi acionado para identificar a extensão e volume do vazamento. Quando tudo for apurado, as medidas cabíveis serão tomadas, diz o instituto, que informa que nenhuma nascente ou rio foi atingido pelo vazamento.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas