Vendas do varejo baiano caem no mês de março, diz IBGE

bahia
07.05.2021, 16:26:39
Atualizado: 07.05.2021, 16:33:40
(Pixabay)

Vendas do varejo baiano caem no mês de março, diz IBGE

Dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) e mostram pior resultado para um mês de março na Bahia desde 2000

O IBGE divulgou nesta sexta-feira (7) os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) referentes ao mês de março de 2021. Em março, as vendas do varejo na Bahia voltaram a cair (-7,2%) em relação ao mês anterior, na série livre de influências sazonais.

O estado havia apresentado índice positivo em fevereiro (0,4%), mas teve, em 2021, o pior resultado para um mês de março, nesse comparativo, desde o início da série histórica, em 2000. Com esse desempenho, o volume de vendas na Bahia voltou a se distanciar do patamar pré-pandemia, ficando 7,9% abaixo do verificado em fevereiro de 2020.

O resultado do comércio varejista baiano entre fevereiro e março (-7,2%) foi o quinto pior do país, sendo bem inferior ao nacional (-0,6%), e acompanhou o movimento de recuo verificado em 22 das 27 unidades da Federação. 

Também foi negativo o resultado das vendas do varejo na Bahia na comparação de março/21 com março/20, mostrando queda de -0,8%. Foi o quinto recuo consecutivo no volume de vendas nesse confronto com o mesmo mês do ano anterior e um resultado também pior que o verificado no Brasil como um todo, onde houve crescimento (2,4%).

Com o desempenho de março, o varejo baiano apresenta retração no acumulado do ano (-2,9%), em um resultado pior que o nacional (-0,6%). Também se mantém em queda (-4,4%) no acumulado nos últimos 12 meses (frente aos 12 meses anteriores). O estado tem o quarto pior resultado do país nesse confronto, acima apenas de Distrito Federal (-8,0%), Ceará (-5,4%) e Tocantins (-4,7%).

Divulgação/IBGE


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas