Vereador sugere que gays sejam 'colocados em uma ilha' por 50 anos

brasil
15.09.2014, 21:09:00

Vereador sugere que gays sejam 'colocados em uma ilha' por 50 anos

Logo depois, Nogueira negou ser homofóbico

O vereador Sérgio Nogueira (PSB), de Dourados (MS), causou polêmica com um discurso feito na Câmara local nesta segunda-feira (15). Ele propôs que os homossexuais fossem colocados todos em uma ilha isolada do resto da sociedade por 50 anos, segundo o Yahoo.

"Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal. Bota (sic) as pessoas que pensam assim numa ilha por 50 anos. Coloca essas pessoas numa ilha e depois de 50 anos volta para ver; não vai ter mais ninguém”, afirmou ele em seu discurso.

Logo depois, Nogueira negou ser homofóbico. Ele começou sua fala por conta de um convite para que fosse assistir a uma palestra contra homofobia na Secretaria Municipal de Assistência Social - ele é presidente da Comissão de Assistência Social na Câmara.

O vereador divulgou nota sobre o caso e afirmou ser vítima de uma campanha com intuito de enfraquecê-lo politicamente.

(Foto: Divulgação)

"O contexto da discussão era sobre o ensino da orientação homossexual nas escolas, de forma sistemática, conduzida pelo Estado, direcionado ao público infantil. O vereador compreende e respeita os direitos civis da comunidade Homoafetiva. No entanto, defende que a discussão acerca da campanha didática, que foi o tema do discurso do vereador no plenário, por ser endereçada ao público infantil, não pertence apenas ao Estado, de forma unilateral, antes, deve ser debatido com as famílias, com os diretores e professores das escolas e com as lideranças religiosas que manifestam posicionamento quanto ao assunto."

Ele diz ainda que o Estado "deve respeitar a sociedade, sobretudo o segmento religioso cristão, no sentido de que não deve existir o estímulo ao comportamento homossexual ao público infantil. A acusação de “homofobia” não pode se constituir em um argumento neutralizador da compreensão das comunidades religiosas, no sentido de permitir ao Estado o estímulo à opção de ordem homossexual. As escolas devem ser espaços neutros no tocante à sexualidade, sobretudo, quando o público é infantil. Esta é a preocupação dos segmentos religiosos que têm cobrado a atenção do vereador na cidade de Dourados.

Finaliza dizendo que “todos devemos ser contrários à homofobia”, ou seja, à discriminação de pessoas por causa da orientação homossexual. Mas o Estado deve respeitar também a compreensão de fé das comunidades religiosas, de forma a não induzir este comportamento ao público infantil".

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas