“Vi meninas sendo arrastadas enquanto atravessavam a rua”, conta morador de Itaberaba

salvador
28.11.2021, 19:40:00

“Vi meninas sendo arrastadas enquanto atravessavam a rua”, conta morador de Itaberaba

A chuva da madrugada causou estrago na cidade e deixou vítimas

Dermeval Neves presenciou cenas assustadoras na noite do último sábado (27) em Itaberaba. Da janela do apartamento onde vive, no Centro da cidade, viu duas meninas que, ao tentarem atravessar a rua, foram levadas pela correnteza. Apesar do susto, elas conseguiram ser socorridas e não tiveram ferimentos graves. Ele também presenciou um carro com motorista e passageiros ilhado. 

Enquanto o nível da água subia, moradores prestaram socorro e abriram uma das portas do veículo, que ficou inundado.  Dermeval conta que a cidade costuma apresentar problemas de escoamento de água quando chove, mas que nunca tinha presenciado cenas tão graves como essas na cidade. Na última madrugada choveu 130 mm na cidade. Durante as chuvas, duas pessoas morreram após serem levadas pelas águas e 18 famílias ficaram desabrigadas.

“Eu nem consegui abrir a janela, de tanto vento. Fiquei todo me tremendo, com medo que o vento levasse o teto”, relembra. O morador diz que, durante a madrugada, a energia elétrica ficou oscilando. O apartamento dele, inclusive, estava sem luz há cerca de uma hora, quando falou com a reportagem. 

A gestão municipal realizou neste domingo (27) incursões pela cidade e registrou danos em vários locais. Os bairros mais atingidos pelo temporal durante a madrugada foram: Campo do Governo, Alameda das Umburanas, Barro Vermelho e Brisas da Chapada.

No Centro de Itaberaba, a Rua Rubens Ribeiro e a Avenida Rio Branco são as que apresentam mais marcas do estrago, com crateras formadas e uma parte do asfalto arrancado. A Secretaria de Ação Social afirma que prestou atendimento a 30 pessoas.

Reflexos da chuva no Centro da cidade

(Foto: Ana Fabrícia de Mattos/Secom Itaberaba)

O prefeito Ricardo Mascarenhas afirmou que o município apresenta problemas no que diz respeito ao escoamento de água da chuva devido a construções irregulares, canais de escoamento indevidamente interrompidos e ligações irregulares de esgoto. Ricardo Mascarenhas afirma que desde o início do mês, quando a cidade já tinha decretado situação de emergência, ações pontuais já estavam sendo feitas. 

“Estamos dando suporte às famílias necessitadas e trabalhando como possível para a contenção de danos. Pedimos que todos continuem fazendo contato com a Ouvidoria Municipal e que, ao menor sinal de risco, não fiquem em casa”, disse, em nota. 

Os reflexos da madrugada caótica também foram sentidos na zona rural.. Gerais, Queiroz, Batata, Laje, Poço Dantas e Mamão são comunidades que ficaram ilhadas, segundo a prefeitura. Além disso, dois postes de energia elétrica com alta tensão caíram na BA-046 e a via precisou ser interditada - até a finalização desta reportagem, os postes ainda não tinham sido removidos. A previsão é de que a Defesa Civil Nacional visite a região amanhã. 

A Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) afirmou, em nota, que recebeu múltiplos chamados simultâneos ao longo da madrugada em Itaberaba. Um desabamento foi registrado no Condomínio Bonanza, quando a força da correnteza derrubou parte do muro externo e avançou para dentro de uma residência. 

Além disso, foram realizados resgates dentro de domicílios e cinco casas desmoronaram. Os locais dos resgates foram identificados como Av. Luiz Viana Filho e ruas Manoel Andrade Sampaio e Júlio Araújo. Além disso, pessoas foram socorridas dentro de cinco veículos que ficaram ilhados nas ruas da cidade.

O prefeito contou ainda que a cidade já passou por outros dois momentos caóticos ao longo de 30 anos. Em 1991, fortes chuvas foram responsáveis por danos e também houve registro de mortes. Já em 2011, temporais também causaram estragos, mas nenhuma vida foi perdida.

Além disso, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) solicitou à Defesa Civil de Itaberaba um parecer sobre as condições do trecho da BR-242 que margeia a represa do Riacho do Feijão. A preocupação é o possível afundamento da rodovia e queda de dois postes de energia visivelmente pendentes – o risco de queda foi validado pelos técnicos da Coelba que estiveram no local.

Na visita técnica, foram detectadas ainda erosões nas margens da rodovia, principalmente no acostamento à beira da ponte do Riacho. O grande volume de água atinge a base da via, o que pode comprometer a estrutura da pista. Os inspetores da PRF sinalizaram o local para evitar que motoristas transitem muito próximo ao acostamento. Como ainda há previsão de chuva para noite desse domingo (28), agora é observar o volume das águas para decidir se haverá interdição dessa via. A Defesa Civil de Itaberaba segue acompanhando o caso.

À esquerda, Ricardo Mascarenhas, prefeito de Itaberaba, ao lado do do Coronel Carlos Miguel, Superintendente da Defesa Civil do Estado.

(Foto: Divulgação)

 

Alerta ligado em outras localidades

A 350 quilômetros de Itaberaba, no sul da Bahia, a cidade de Itabuna também registrou forte chuva ao longo da madrugada. A prefeitura afirma que o vendaval causou prejuízos à decoração natalina, mas que não houveram vítimas. Foram registrados, pelo menos, 30 milímetros de chuva.

A Defesa Civil recomendou cuidados e emitiu alerta laranja. Há risco de corte de energia elétrica, alagamentos e queda de árvores. Durante o dia de domingo (28), a prefeitura afirmou que não foram registradas chuvas, e que fez sol na cidade. A Sudec foi procurada, mas não informou quantos municípios precisaram de suporte por conta das chuvas.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas