Vitória precisa melhorar aproveitamento para retornar à Série A

e.c. vitória
20.09.2020, 19:36:00
Atualizado: 20.09.2020, 19:36:49
Técnico Bruno Pivetti precisa melhorar o desempenho do rubro-negro na atual Série B. Time está com 46% de aproveitamento no campeonato (Foto: Letícia Martins/EC Vitória)

Vitória precisa melhorar aproveitamento para retornar à Série A

Média de acesso dos últimos 10 anos é de 55%; atualmente, Leão tem desempenho de 46,7%

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde que 2020 começou, o Vitória sempre deixou claro: seu principal objetivo do ano é subir à Série A. Após eliminações precoces na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Campeonato Baiano, a missão se tornou ainda mais importante. Mas, se o Leão quiser mesmo voltar à elite do futebol nacional no ano que vem, terá que melhorar bastante seu desempenho.

Atualmente, o rubro-negro aparece na 8ª colocação, com 14 pontos em 10 jogos feitos. Até aqui, acumulou três triunfos, cinco empates e duas derrotas, fazendo o aproveitamento da equipe treinada por Bruno Pivetti ser de 46,7%. O mesmo desempenho, se persistir até o fim da competição, só manteria o Vitória na Segundona.

De 2010 até 2019, os times precisaram de um aproveitamento, em média, de 55,3% para subir à Série A - ou 63 pontos totais. É quase o mesmo valor dos últimos cinco anos, quando os clubes necessitaram de 55% - ou 62 pontos -, em média, para voltarem à primeira divisão.

Ano Time Pontuação Aproveitamento

2010

América-MG 63 pontos 55,3%

2011

Sport 61 pontos 53,5%

2012

Vitória 71 pontos 62,3%

2013

Figueirense 60 pontos 52,6%

2014

Avaí 62 pontos 54,4%

2015

América-MG 65 pontos 57%

2016

Bahia 63 pontos 55,3%

2017

Paraná 64 pontos 56,1%

2018

Goiás 60 pontos 52,6%

2019

Atlético-GO 62 pontos 54,4%

A má notícia é que nem sempre conquistar essa pontuação pode colocar uma equipe na elite do futebol nacional. E isso aconteceu duas vezes nos últimos 10 anos. Em 2015, o Náutico terminou a competição com 63 pontos, só que ficou na 5ª posição entre os 20 clubes. Quem acabou como 4º colocado foi o América-MG, com 65 pontos. 

Em 2012, o cenário foi mais complicado. Isso porque a pontuação mínima necessária para o acesso foi, disparada, a maior da última década: nada menos que 71 pontos. Naquele ano, o G4 foi fechado justamente pelo Leão, com 62,3% de aproveitamento. Curiosamente, o São Caetano terminou com os mesmos 71 pontos, só que ficou em 5º por ter menos triunfos (20 contra 21 do rubro-negro baiano). Por isso, é tão importante ganhar - afinal, o quesito ‘vitórias’ é o primeiro entre os critérios de desempate no Brasileirão da Série B.

Em 2017, o Paraná precisou de 64 pontos para subir. Mas o 5º colocado, o Londrina-PR, fez 62 - abaixo da média. Por isso, não entra nessa matemática.

Menor que a média
Pensando em um lado bom, nem sempre a pontuação necessária para o acesso é igual ou maior que a média dos últimos 10 anos, de 63 pontos. Cinco vezes, ao longo desse período, foi menor. Em 2014 e no ano passado, o aproveitamento de 54,4%, com 62 pontos, colocou o Avaí e o Atlético-GO, respectivamente, na Série A.

Em 2011, o Sport ficou com 61 pontos ao fim das 38 rodadas (53,3%) e fechou o G4. Naquele mesmo ano, o Vitória bateu na trave, ao terminar o torneio em 5º, com 60 pontos. Em 2013 e em 2018, os 60 pontos classificaram o Figueirense e o Goiás, respectivamente, na elite do futebol nacional, com 52,6% de aproveitamento cada.

Desta forma, se o time de Bruno Pivetti quiser fechar a atual temporada da Série B - que só termina no dia 30 de janeiro de 2021, por causa da paralisação pela pandemia do coronavírus -, é bom começar a melhorar seu desempenho. Como mandante, está no G4, com aproveitamento de 83,3% no Barradão. Mas, como visitante, tem apenas 22,2% de aproveitamento, um dos piores do torneio. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas