Você tem consumido vinhos brasileiros?

paula theotonio
03.06.2021, 05:00:00

Você tem consumido vinhos brasileiros?

Geisse Open House (Natana Fontes/divulgação)

Se você não bebeu pelo menos um vinho ou espumante brasileiro nos últimos tempos, não sabe o que está perdendo. Além do crescente custo-qualidade, o Brasil tem enólogos inventivos e uma ampla oferta de terroirs — o que permite inúmeras descobertas.

Esse movimento de “reconhecimento” da nossa produção ganhou fôlego em 2020, com a chegada da pandemia, e segue aumentando este ano. Somente nos quatro primeiros meses de 2021, as vinícolas do Rio Grande do Sul (RS) venderam 9,5 milhões de litros, um aumento de 34% se comparado ao mesmo período do ano passado.

A melhor performance percentual é dos espumantes moscatéis, docinhos e frescos, com incremento de 37,76%. Os vinhos finos tranquilos chegaram a 34,35% e os espumantes brut, 30,87%. Os dados são da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), com base no Sistema de Cadastro Vinícola da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do RS.

“É animador ver esta importante conquista. Com uma safra maior em 2021 os estoques estão sendo abastecidos, podendo atender ao mercado”, destaca o presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), Deunir Argenta.

O Vale do São Francisco também acompanha o desempenho gaúcho. Apesar de não haver dados oficiais divulgados pelo Instituto do Vinho do Vale do São Francisco (Vinhovasf), pelo menos na Vinícola Rio Sol, de Lagoa Grande (PE), há muito o que comemorar.

“Em 2020 tivemos um crescimento muito acentuado. Ficou na faixa dos 35% nos vinhos tranquilos, e de 10% no segmento de espumantes. A expectativa para 2021 é de ter um crescimento de 20% nos espumantes e manter a taxa de crescimento para os tranquilos”, compartilhou o enólogo da empresa pernambucana, Ricardo Henriques.

Além da qualidade, está por trás dessa nova realidade a desvalorização do câmbio — que vem encarecendo cada vez mais os rótulos importados. Em Salvador (BA), a loja Sala de Vinhos viu o seu perfil de vendas mudar drasticamente no último ano.

“Eu já vinha fazendo um trabalho com vinhos brasileiros desde 2017. Mas até fevereiro de 2020, 70% do que vendíamos vinha de outros países. Com a pandemia, minha entrada no delivery e a questão do câmbio, tudo mudou. Meu maior desafio era fazer com que as pessoas provassem. E o que começou como uma alternativa, virou uma surpresa e hoje já temos um exército de propagadores do vinho nacional”, conta o proprietário da empresa, Eduardo Araújo Mateus. Ele atua no segmento de distribuição desde 2016 e de venda direta desde 2017.

A proporção, inclusive, virou: de 10 garrafas vendidas, pelo menos 8 são made in Brazil. Pelo menos 55% do seu catálogo é composto por rótulos das mais diversas regiões produtoras brasileiras. “Hoje temos um grupo no WhatsApp com 256 enófilos, todos engajados. E é bem possível que, num futuro próximo, passemos a trabalhar somente com a produção nacional”, revela.

Fun facts:

1. Há vinhos finos e de mesa sendo feitos em diversas regiões do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Paraíba.

2. O Brasil é o único país do mundo onde podem ser observadas pelo menos três viticulturas: a tradicional, realizada em todo mundo; a tropical, com foco no Nordeste e a viticultura de inverno, praticada no Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Neste último caso, todos os vinhedos estão localizados em altitudes elevadas, acima dos 700 m.

3. O Brasil já é reconhecido mundialmente pela qualidade de seus espumantes, principalmente aqueles elaborados pelos mais diversos métodos nos terroirs do Rio Grande do Sul.

4. Já possuímos 7 indicações geográficas aprovadas para seus vinhos e espumantes: a DO Vale dos Vinhedos (RS), a IP Campanha Gaúcha (RS), IP Altos Montes (RS), IP Farroupilha (RS), IP Monte Belo (RS), IP Pinto Bandeira (RS) e IP Vales da Uva Goethe (SC). Em fase de estruturação, estão ainda Altos de Pinto Bandeira (RS), Região do Planalto Catarinense (SC) e Vale do São Francisco (PE e BA).

Dia do Vinho Brasileiro

Coroando este momento ímpar, o Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), no RS, promove até 06/05 a campanha on e offline “Ah, como é bom” — em comemoração ao Dia do Vinho Brasileiro. Celebrada anualmente no primeiro domingo de junho, a data traz um convite ao resgate e à criação de memórias afetivas com rótulos nacionais.

Seja nos pontos turísticos, seja em casa, a ação deste ano convida as pessoas a postarem fotos de suas experiências com a hashtag #meudiadovinho, marcando a vinícola da garrafa que estão degustando. Assim, elas estarão concorrendo ao sorteio de 10 kits com oito vinhos das cidades gaúchas de Bento Gonçalves, Dom Pedrito, Garibaldi, Pinto Bandeira e Vacaria, além da paulista São Roque. No kit, vouchers para o passeio da Maria Fumaça e visita ao Parque Temático Epopeia Italiana. Para ficar por dentro basta seguir @diadovinhobrasileiro e @seghuvaevinho.

O que você acha desta coluna fazer um tour pelos terroirs do Brasil, trazendo dicas de garrafas? Conta pra mim lá no meu instagram: @paulatheotonio!

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas