'Vou arrombar essa porta e cravar uma bala em você', disse filho à mãe antes de balear mulher grávida

salvador
03.03.2022, 14:38:00
(Bruno Wendel/CORREIO)

'Vou arrombar essa porta e cravar uma bala em você', disse filho à mãe antes de balear mulher grávida

A mulher grávida levou tiro ao tentar defender sogra do ataque, em Itapuã

A empresária Eliene Valente nunca bateu no filho, de 34 anos. A primeira vez que precisou dar-lhe um tapa, após ter sido esmurrada, ela se trancou para não morrer. "Ele gritava: 'Vou arrombar essa porta e cravar uma bala em você nesse banheiro'", contou Eliene. 

Ela estava em frente à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Brotas, que apura o caso, inclusive a tentativa de homicídio do filho, Rafael Lopes Pepe contra a mulher, grávida de quatro meses. Ivana Alves Oliveira, 39 anos, foi baleada na barriga quando tentava defender a sogra. Rafael acabou preso pela PM horas depois. 

O início da confusão aconteceu na Pousada Vila Gabriel, situada na Rua Calazans Neto. O imóvel é dos pais de Rafael, que têm outra pousada na Itália. Segundo a própria Eliene, o filho teria sofrido um "surto psicótico" pois estava há algum tempo sem tomar ansiolíticos -  medicamentos que tratam diversos distúrbios mentais, especialmente a ansiedade, e a sua interrupção por um longo período provoca ansiedade, irritabilidade e problemas para dormir.

Mãe e filho estavam em um dos quartos que Rafael ocupa na pousada. "Ele estava bastante alterado, nervoso. Então disse a ele que iria levá-lo para um médico clínico, mas ele queria ir a um cardiologista. Então, começamos a discutir e ele me jogou no chão, começou a me esmurrar", contou Eliene. Nessa hora, a mulher de Rafael chega no local e conseguiu impedir que o Rafael jogasse uma cadeira sobre a mãe. Então, a empresária levantou e reagiu, repreendendo o filho com um tapa no rosto.

"Ele disse: 'Eu tenho 34 anos e nunca apanhei, mas hoje você me bateu. Então você vai morrer'. Nessa hora corri para o banheiro, porque ele havia ameaçado me matar'', detalhou a empresária. 

Tomado pela ira, Rafael pegou uma pistola que estava guardada numa gaveta - ele tem porte de arma - e começou a fazer ameaças ao mesmo tempo em que  batia e chutava a porta: "Não adianta, vou matar você", repetia inúmeras vezes, enquanto a mãe seguia trancada no banheiro. Temendo uma tragédia, Ivana empurrou Rafael no chão e saiu correndo. Ele, ainda mais furioso, foi atrás dela e num determinado momento consegue baleá-la na barriga, já em via pública. A grávida foi socorrida para o Hospital Geral Roberto Santos, no Cabula. Segundo Eliene, o estado de saúde dela e do bebê é estável. 

Rafael era salva-vidas na Itália, onde morava há 10 anos. Em janeiro do ano passado, ele veio à Bahia de férias e pretendia retornar à sua rotina, mas em fevereiro acabou sofrendo um acidente de moto e teve várias fraturas exposta, o que o impossibilitou de voltar para Itália, onde o pai reside. Nesse período que passou a morar com a mãe em Itapuã, ele conheceu a mulher, que está no quarto mês de gestação. 

Prisão
Rafael foi preso por policiais militares da 15ª Companhia Independente (Itapuã) ainda no mesmo dia. Eles foram ao  local do crime e foram informados que o suspeito teria fugido pilotando uma motocicleta.

Durante buscas no bairro,  os policiais avistaram Rafael conduzindo a moto. Na  abordagem, eles  encontraram com Rafael uma pistola calibre 9mm com três carregadores e  44 munições intactas, além de uma deflagrada. Os militares conduziram o acusado, junto com o armamento e  o veículo, para a Deam, onde a ocorrência foi registrada.

Questionada sobre a prisão do filho, Eliane respondeu: "Se fosse algum drogado, até entenderia. Mas ele não usa drogas. Ele quis matar a mim e a minha nora. Quero que ele fique preso o tempo que for necessário. Ele disse que nunca bati nele quando pequeno. Talvez meu erro foi esse", desabafou ela.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas