Wagner Lopes elogia Vitória e destaca união do grupo: 'Jogou com raça'

e.c. vitória
21.08.2021, 20:55:00
Soares marcou o gol do Vitória sobre o Guarani (Pietro Carpi/EC Vitória)

Wagner Lopes elogia Vitória e destaca união do grupo: 'Jogou com raça'

Com gol olímpico de Soares, Leão bateu o Guarani por 1x0 no Barradão

O Vitória voltou a ganhar na Série B. Após seis jogos de jejum na competição - e oito no total, com a Copa do Brasil -, o Leão derrotou o Guarani por 1x0 no Barradão, neste sábado (21), com direito a gol olímpico de Soares. Foi a primeira vez que o time venceu sob o comando de Wagner Lopes, na terceira partida do técnico. Antes, o rubro-negro havia empatado com CRB e Vila Nova.

O resultado ainda não foi o suficiente para tirar o Vitória do Z4, mas foi importante na luta contra o rebaixamento. Por isso, Wagner fez questão de parabenizar os jogadores. O treinador comemorou a evolução da equipe e elogiou a postura. Mas destacou que ainda dá para crescer mais. 

"Hoje, nós fizemos um bom jogo, mas temos espaço de crescimento ainda. Temos situações para acertar. Nós enfrentamos um time muito bom. Soubemos triangular, usar a velocidade com triangulações rápidas, a circulação de bola melhorou, jogadores estão mais próximos, o time está menos espaçado. É claro que hoje todo mundo jogou com raça, com determinação, disse Wagner.

"Achei que, no finalzinho, tivemos dois contra-ataques que poderia ter feito mais gols. Mas ainda vejo coisas para a gente trabalhar, para melhorar. Isso é muito bom. É sinal que a gente tem qualidade para ser trabalhada. É jogo a jogo, dia a dia, contar com a ajuda de todos. É uma construção. Valorizar os três pontos, muito importante. Dar os parabéns para os jogadores, que souberam segurar, marcar, sofrer quando precisou", completou.

O Guarani entrou em campo como a equipe que mais fez gols na Série B (29, ao todo) e como um dos times com maior aproveitamento como visitante, de 55,6% até então. Mas o Leão não se intimidou com os bons números do rival e impõs a derrota ao Bugre. Wagner Lopes valorizou a vitória diante do oponente.

"Eu fiquei satisfeito, sim, porque ganhar na Série B é dificílimo, é duríssimo. Nós enfrentamos o time que mais fez gol no campeonato. São 29 gols feitos pelo Guarani. Nós não enfrentamos qualquer time não. Então os nós jogadores estão de parabéns pela grande partida de hoje", afirmou.

O técnico também destacou a união do grupo. Para Wagner, esse foi um dos aspectos determinantes para que o Vitória saísse com os três pontos do Barradão.

"É multifatorial. União, solidariedade. Jogadores um correndo pelo outro, a leveza do nosso vestiário, jogadores comprometidos. Para você ter uma ideia, todos jogadores que estão no departamento médico vieram e participaram do aquecimento, participaram do vestiário. Antes e depois. Ficaram assistindo o jogo, torcendo como se fossem os torcedores mais fanáticos. Nosso banco hoje foi vibrante o tempo todo. Então eu acho que entusiasmo, você fazer que você gosta, você entregar tudo dentro de campo, é muito importante", comentou.

"Nosso time jogou com raça, com determinação. Cada dividida que a gente ganhava dentro de campos, nossos jogadores que estavam como opção de reforços, vibravam como se estivessem jogando. Eu acho que só união, só determinação, só companheirismo e solidariedade entre nós é que vai fazer o Vitória vencedor. Os jogadores estão de parabéns, e como eu falei, é multifatorial, tudo isso acho que importa muito para você vencer", finalizou o treinador.

Na próxima rodada, o Vitória visita o Náutico nos Aflitos. A partida será no domingo da semana que vem, dia 29, às 16h.

Confira outros trechos da entrevista de Wagner Lopes

Carências do elenco
A gente vai, dia a dia, conhecendo cada um dos atletas. É um relacionamento na verdade. Vai através do teu conhecimento, do conteúdo, dos trabalhos, da postura, vai conquistando a confiança dos jogadores, os jogadores passam a fazer que você está pedindo. Óbvio que eu preciso valorizar quem está aqui dentro. A gente sabe onde nós precisamos melhorar, mas eu preciso, neste primeiro momento, valorizar os atletas que eu tenho em mão.

Lentidão do time
Quando você acelera muito jogo e erra por estar acelerando, a gente pede calma para os jogadores com a bola. Mas eu concordo em partes, porque a gente precisa circulação de bola mais rápida,  dinâmica, A velocidade da bola pode ser melhorada. Então, nesse aspecto, eu acho que a gente pode melhorar sim essa circulação de bola. A troca de corredor a gente pode fazer com um pouquinho mais de dinâmica.

David apenas pelo lado esquerdo?
Nós temos jogadores jovens, e a gente precisa ensiná-los a jogar em qualquer posição. Não só pela direita, não só pela esquerda, mas por dentro, um pouco mais recuado, um pouco mais espetado. O jogador precisa saber jogar em várias posições, hoje o futebol moderno pede isso. Jogadores que vão para Europa fazem duas, três funções, mais a missão que o treinador pede. Meu ideal, meu grande desafio é fazer esses jogadores entenderem, fazer uma leitura de jogo boa e poder jogar em várias posições. É o que a gente vai buscar.

Opção por Wesley
Wesley é um cara que eu conheço já há muito tempo. Enfrentei ele em São Paulo várias vezes. Ele é um cara que, para o grande público, talvez não apareça tanto, mas é um cara que fecha muito bem, um cara tático, um cara que recompõe, ajuda na marcação. A escolha por ele hoje foi porque o Júlio César, do lado esquerdo, e o Bidu, são dois jogadores que atacam muito. O time do Guarani, a maioria das jogadas sai ali do lado esquerdo. A escolha dele ali foi pra que ele ajudasse o Van a dominar o espaço. Eu acho que foi muito bem, porque o Bidu praticamente não conseguiu crescer, não conseguiu jogar. O Júlio César também não, prova que foram substituídos. Então, embora para o torcedor não apareça tanto, mas, na fase defensiva, nos ajudou bastante. Eu espero que, na fase ofensiva, ele melhore, consiga criar mais situações de um para um para usar velocidade, atravessar essa bola na frente do gol.

Vitória aumenta confiança?
Demais, aumenta muito a confiança. Nós vamos ter uma semana aberta, nós vamos ter como trabalhar alguns aspectos, principalmente no último terço, na hora da finalização. Pontuar que a vitória, ela te dá confiança, te dá leveza, o ambiente fica alegre, mesmo com todos os problemas internos que nós temos. A gente não pode fechar os olhos para isso, mas o nosso ambiente fica leve. Na camaradagem, no companheirismo, a gente pode até apertar um pouquinho mais, no sentido de que jogadores podem render mais, podem melhorar. E a nossa busca por essa melhora ela vai ser incessante.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas