Após confusão entre cobrador e PM, acesso ao fim de linha de Santa Cruz é fechado

De acordo com presidente do Sindicato dos Rodoviários, cobrador foi agredido

Publicado em 1 de outubro de 2015 às 18:45

- Atualizado há 10 meses

Rodoviários fecharam acesso ao fim de linha de Santa Cruz na tarde desta quinta-feira (1º) em protesto depois de uma confusão entre um cobrador e um policial militar. Segundo o Sindicato dos Rodoviários, o cobrador foi agredido pelo PM com um tapa no rosto. A PM negou esta versão e disse que o policial foi agredido verbalmente depois de dar voz de prisão ao cobrador. A liberação da via aconteceu cerca de uma hora depois, por volta das 18h.

De acordo com Hélio Ferreira, presidente do sindicato, o fim de linha de Santa Cruz tem um "problema de mobilidade" por conta do pouco espaço. "Vão avançando os comércio e vão tirando o espaço da rua. Foram dois problemas que aconteceram em 15 dias", afirma, relatando que outra agressão teria acontecido no Nordeste de Amaralina.

Segundo ele, a categoria não vai entrar no fim de linha enquanto a situação "não se resolve". "A gente vai dar todo o apoio ao companheiro, com apoio jurídico inclusive. Vamos à delegacia, vamos acompanhar para fazer corpo de delito", diz o sindicalista.

De acordo com a PM, uma guarnição da 40ª Companhia Independente de Polícia Militar (Nordeste de Amaralina) estava patrulhando o bairro quando viu um ônibus obstruindo a via. Os policiais desceram da viatura e viram que o veículo estava sem o motorista e o cobrador.

Quando estes apareceram, foram questionados por terem deixado o ônibus de maneira que impedia o tráfego. Houve, diz a PM em nota, um desentendimento entre rodoviários e policiais. O cobrador recebeu voz de prisão e teria agredido verbalmente os PMs.

"A 40ª CIPM instaurará um procedimento apuratório para esclarecer as circunstâncias em que os fatos se deram e, se for o caso, identificar alguma responsabilidade por parte dos policiais militares neste fato", conclui a PM.