Briga com ciganos começou após homem entrar em acampamento sem autorização

Confusão aconteceu em Barra Grande e deixou um homem morto e outras três pessoas baleadas; polícia já identificou suspeitos

Publicado em 28 de outubro de 2015 às 15:14

- Atualizado há 10 meses

A discussão entre membros de uma comunidade cigana e um comerciário de Barra Grande, na Ilha de Itaparica - que deixou um homem morto e outras três pessoas feridas na noite de terça-feira (27) - começou após uma mulher da comunidade cigana acreditar que estava tendo sua propriedade invadida. Segundo o delegado Geovani Paranhos dos Santos, titular da 24ª Delegacia (Vera Cruz), os três suspeitos já foram identificados pelos prenomes de Laércio, Wilian e Igor.

De acordo com o delegado, o conferente Alexandre Lima estava em uma festa de aniversário que ocorria no fundo do acampamento cigano. Alexandre, ao pretender deixar a confraternização e acessar uma outra rua, entrou na propriedade onde mora a comunidade cigana, conhecida como Rancho dos Ciganos. Alexandre relatou a discussão na manhã desta quarta-feira (28), em depoimento na delegacia de Vera Cruz. 

"Ele contou que saiu para ir para uma outra rua, se equivocou e passou por dentro do acampamento. Uma cigana, então, começou a gritar com ele, pensando que ele iria cometer ali algum crime. Ele, então, teria ofendido a mulher e o marido e os filhos dela vieram para cima dele", conta o delegado. Alexandre  saiu correndo, voltando para o local onde estava ocorrendo a festa, mas, ainda segundo o depoimento, os ciganos correram atrás dele atirando - mais de um estava armado. 

Alexandre não foi atingido, mas contou que foi agredido com um tapa no rosto antes de começar a fugir. Os disparos, porém, atingiram três pessoas que estavam deixando um culto evangélico próximo ao local da festa e um participante da confraternização. 

Reginaldo Cardoso dos Santos, 50 anos, saía do culto quando foi baleado. Ele foi socorrido para o Hospital Geral de Itaparica (HGI), onde morreu. O corpo dele foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica de Santo Antônio de Jesus, onde foi periciado e liberado. Familiares levarão o corpo para Mar Grande. Já Rosenilda Santana Meireles, 46 anos, que também saía do culto quando foi atingida, foi levada para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ), onde passou por procedimento cirúrgico e recebeu alta na manhã de hoje.

Rosana dos Santos Miranda, 43, está internada no Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador. Ela passou por cirurgia e foi encaminhada para a Unidade se Terapia Intensiva (UTI). Seu estado de saúde e considerado grave, segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Já Diego Coelho Moreira, 23, filho de Rosana, que estava na festa, está internado no HGI. Seu estado de saúde é considerado estável. Segundo informações do HGI, a previsão é de que ele receba alta médicana próxima sexta-feira (30).

Suspeitos identificadosO delegado acredita que os suspeitos pelos disparos - identificados apenas como Laércio, Wilian e Igor - já tenham deixado a cidade, mas ele afirma que a polícia está trabalhando na localização deles.  "Pelo tempo que estou aqui nesta delegacia, há dois anos, não tenho nenhum relato de envolvimento desses ciganos com nenhum outro caso do tipo", afirmou o delegado.