Festa para Jesus: Marcha arrasta milhares de fiéis do Campo Grande até a Castro Alves

Quinze trios animaram o público durante o percurso com mensagens de paz e louvores ao som de ritmos do reggae ao axé

Publicado em 30 de setembro de 2017 às 22:30

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Foto: Evandro Veiga/ CORREIO
Com louvor, orações e coreografias em grupo fiéis seguiram do Campo Grande à Praça Castro Alves por Foto: Evandro Veiga

Celebrar o amor por Jesus Cristo e enviar uma mensagem de paz mobilizaram milhares de fiéis, do Campo Grande à Praça Castro Alves, durante a 20ª edição da Marcha para Jesus Salvador. Não era Carnaval, mas o evento gospel foi do axé ao reggae, ao fazer todo mundo tirar o pé do chão para louvar o Criador da forma que o baiano mais gosta: atrás do trio elétrico.  

Quinze trios puxando fiéis de diferentes congregações evangélicas seguiram o percurso até a concentração no palco montado na  praça do povo. Entre as atrações, expoentes da música religiosa como a banda Renascer Praise, Banda do PA, Banda ao Cubo, Kartsbernea, Tonzão e Marcelo Aguiar.

“Nesse momento tão crítico que o mundo e o Brasil está vivendo, com toda essa crise política e violência, se torna ainda mais importante  que a palavra do Senhor tenha ressonância  no sentido de promover a fé, união o amor e a família”, afirmou Alberto Braga, um dos organizadores da marcha na capital baiana. 

A mensagem era compartilhada pela auxiliar de serviços gerais Cremilda Brito, 52 anos, que faz questão de ir desde a primeira marcha. “Sempre venho em todas. É uma felicidade muito grande para mim glorificar o Todo Poderoso”, explica.  Quem também atendeu ao chamado foi o estudante Andrey Pereira, 17. “Estamos aqui para dizer sim a Deus e dividir com nossos irmãos a paz que a gente sente verdadeiramente”, afirmou o fiel da Igreja Batista. 

[[galeria]]

Entre amigos, o jovem  John Souza, 22 - que não gosta muito de Carnaval - foi mais um que reforçou o louvor. “Amo Jesus, e Jesus Cristo ama todo mundo. Temos uma história de amor com Deus e queremos passar isso. Estamos atrás do trio, mas aqui é outra proposta, outro clima. Não tem drogas, bebida, nem prostituição. Só pessoas que são tementes a Deus”, advertiu.

Durante o percurso, as músicas eram entoadas com louvores e orações. O Bispo Cristian, da Igreja Renascer, uma das organizadoras do evento, reforçou mais uma vez que o momento o momento é de pedir paz para o país. “Queremos que após a marcha, a paz, harmonia e a palavra de Jesus Cristo tenham chegado às pessoas”, declarou. 

O tema escolhido para este ano foi “Jesus, o Rei dos reis”, em alusão à passagem bíblica de Apocalipse 19, 16: “Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: Rei dos reis e Senhor dos senhores”. Para a dona de casa e fiel da Igreja Renascer, Marivaldice Cordeiro, 47, que acompanhou a marcha desde a concentração, no Campo Grande, não há melhor forma de celebrar o amor de Jesus. “É uma maravilha estar aqui e louvar o Senhor”, garantiu. 

A Marcha para Jesus, realizada em várias capitais, faz parte do calendário oficial do país desde setembro de 2009, quando o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei Federal n° 12.025, que estabelece a Marcha como uma celebração nacional.