salvador

Funcionários são mantidos reféns em assalto a loja em shopping de Salvador

Gerente da Americanas, do Salvador Shopping, acionou a Polícia Militar 40 minutos após invasão de loja por bandidos armados

  • D
  • Da Redação

Publicado em 26 de julho de 2017 às 10:50

 - Atualizado há um ano

Bandidos armados invadiram a loja Americanas no Salvador Shopping, por volta das 22h20 desta terça-feira (25), renderam e roubaram funcionários, além de levarem equipamentos do estabelecimento. A informação foi confirmada pela Polícia Militar, que foi acionada pelo gerente da loja 40 minutos após o ataque. Ele relatou que, durante o roubo, os colegas foram mantidos confinados em um espaço da loja.

Segundo a assessoria do shopping, os funcionários foram surpreendidos por três homens que já estavam dentro da loja no final do expediente.

O assalto aconteceu após o fechamento do shopping, que fica na Avenida Tancredo Neves. Não havia outros clientes no estabelecimento, de acordo com informações do centro de compras. Os criminosos fugiram levando celulares, documentos e pertences dos funcionários, além de equipamentos da loja - não foi informado quais.

Um carro fora do estacionamento já aguardava o trio, ainda de acordo com informações da assessoria do shopping, que "se coloca à disposição da loja e das autoridades policiais para prestar esclarecimentos".

A PM informou que equipes da 35ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Iguatemi) foram deslocadas para o local do crime, por volta das 23h. Rondas foram realizadas na região, mas o grupo não foi localizado. Ninguém foi preso. Os policiais orientaram as vítimas a registrar a ocorrência na 16ª Delegacia (Pituba). 

Nesta quarta-feira (26), o CORREIO tentou ouvir alguns dos funcionários da loja - eles, no entanto, foram orientados a não falar sobre o crime. Procurada, a Lojas Americanas se limitou a informar, em nota:

Lojas Americanas lamenta o ocorrido e informa que está contribuindo com as solicitações das autoridades para elucidação do caso.

Até o final da manhã, pelo menos quatro deles tinham procurado a 16ª Delegacia (Pituba) mas não conseguiram registrar a ocorrência porque o sistema da Polícia Civil estava fora do ar, segundo a titular da unidade, delegada Maria Selma Lima.