Suspeito de matar policial rodoviário continua foragido

O policial Marcelo foi baleado durante um assalto na Barraca do Regis, na rua Ceará, na Pituba

Publicado em 1 de outubro de 2015 às 11:59

- Atualizado há 10 meses

Marcelo foi baleado na cabeça em assalto(Foto: Reprodução/Facebook)Um dos suspeitos de matar o policial rodoviário federal Marcelo Caribé Carvalho, identificado como responsável pelo disparo, continua foragido.

Inicialmente, havia sido divulgado que o suspeito Vitor Vagner Matos Neri foi baleado em confronto com policiais. No entanto, em contato com o CORREIO a Polícia Civil negou a informação.

Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) continuam fazendo buscas ao suspeito. O caso está sendo investigado pelos delegados Marcelo Sansão e Odair Carneiro.

Nesta quarta-feira (30), dois homens foram presos por suspeita de ligação com o criminoso que matou Marcelo Caribé. Eles foram identificados como Idenivaldo Santos de Oliveira, de 33 anos, e Paulo Tiago Rabelo dos Santos, 23. Idenivaldo foi preso na segunda-feira (28), em Cosme de Farias, e Tiago teve o mandado de prisão cumprido na manhã de quarta-feira (30), no DHPP.

Segundo a Polícia Civil, por questões de logística, a apresentação dos suspeitos à imprensa que aconteceria na tarde desta quinta-feira (1º), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, foi transferida para a manhã de sexta (2) no mesmo local. A apresentação seria conduzida pelos delegados Marcelo Sansão, da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), e Odair Carneiro, titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM).

CrimeMarcelo foi baleado durante um assalto na Barraca do Regis, na rua Ceará, próximo a uma escada de acesso ao Parque Júlio César. Três ladrões chegaram em um Gol prata. Enquanto um deles ficou no carro, os outros dois, um deles armado, desceram e abordaram as pessoas que bebiam e conversavam na barraca. Eles passaram com um saco na mão exigindo que todos entregassem o celular.

O policial, que estava com dois amigos, entregou o telefone. Enquanto um dos ladrões voltou com o saco cheio de celulares para o carro, o segundo se virou para continuar o roubo em outra mesa.

Nesse momento que ele ficou de costas, Marcelo sacou a arma e anunciou que era policial. O delegado Marcelo Sansão, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), não sabe se a arma do policial falhou ou se ele hesitou. O ladrão se virou e atirou na cabeça de Marcelo.