Manifestação congestiona trânsito no Lobato

Protesto começou por volta das 6h, na Avenida Suburbana, no sentido Calçada

Publicado em 19 de outubro de 2015 às 07:51

- Atualizado há 10 meses

Para organizar o trânsito, os ônibus foram colocados em fila única na pista da direta (Foto: Amanda Palma/CORREIO)Um grupo com cerca de 50 moradores fechou o trânsito na manhã desta segunda-feira (19) durante um protesto no bairro do Lobato, em Salvador. Segundo informações da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), o protesto começou por volta das 6h, na Avenida Suburbana, no sentido Calçada. Além do Lobato, os moradores também fecharam o trânsito na região do Alto do Cabrito.Por conta da manifestação, o trânsito ficou congestionado em toda a avenida. O grupo reivindica por melhorias no transporte público que atende a região. Segundo moradores, os motoristas dos ônibus não estão cumprindo as paradas em pontos do bairro. "Todo dia a gente fica ali mofando. Quem chega 5h, 6h no ponto fica uma hora ou mais esperando. (Os motoristas) sinalizam que o ônibus está cheio e nunca param. E, às vezes, nem está tão cheio", reclama a diarista Jacilene Viana, 28 anos.O líder comunitário Súlivan Santos, 35, explica que o problema é a pouca oferta das linhas de ônibus. "Em abril fizemos manifestação porque os ônibus não paravam no ponto, por estarem muito cheios. Saiu uma coisa positiva, que foram quatro linhas saindo do Lobato: Imbuí, Brotas, Itaigara e Ondina. Mas tem três meses que tiraram essas linhas. Os pontos estão cheios, os ônibus lotados. Queremos que voltem as linhas", conta. "Um outro pedido nosso, já tem mais de dez anos, são linhas saindo do Lobato até as estações Pirajá e Mussurunga", completa.Equipes da 14ª Companhia Independente da Polícia Militar (Lobato) e da Transalvador foram encaminhadas para o local, a fim de negociar com os manifestantes. Para organizar o trânsito, os ônibus foram colocados em fila única na pista da direta. A outra via foi liberada para tráfego de carros pequenos. O protesto só foi finalizado após a chegada de Fábio Mota, da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob). O trânsito foi totalmente liberado às 9h30, mas os motoristas tiveram de enfrentar reflexos do congestionamento durante toda a manhã. "Nós conversamos com os manifestantes e dissemos que vamos acompanhar a situação para confirmar a denúncia. A partir de amanhã vamos colocar fiscais da Semob nos dois pontos sinalizados pelos moradores, onde os motoristas não estariam parando", disse Mota ao CORREIO.Ainda de acordo com o secretário, a frota de ônibus está reduzida nesta segunda-feira (19) por conta do feriado do Dia do Comerciário. "A reclamação deles não é por conta da redução, mas a parada dos pontos que não está sendo respeitada. Todos os anos, em feriados, a frota é reduzida. 70% da frota está na rua. Não há necessidade de botar 100% dos ônibus se não tem gente para transportar. Está tudo fechado e não há pessoas nas ruas. Reforçamos as linhas que passam pela Orla e terminais para atender quem está, principalmente, na praia hoje", disse.Em nota, a Semob informou que as queixas dos usuários já estão sendo apuradas com base nas informações do Centro de Controle Operacional (CCO). Ainda segundo a secretaria, uma operação especial, nesta terça-feira (20), em toda Avenida Suburbana, irá incluir ônibus extras e agentes de trânsito e transporte no local para verificar as deficiências denunciadas pelos manifestantes e corrigir os problemas identificados.