Maestro Carlos Prazeres, da OSBA, será parte de mesa no Agenda Bahia 2023

Mesa terá gestor cultural Fernando Guerreiro, o secretário de Cultura Pedro Tourinho e a chef de cozinha Tereza Paim

  • D
  • Da Redação

Publicado em 7 de agosto de 2023 às 16:52

null Crédito: Divulgação

O maestro Carlos Prazeres, regente titular da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) será uma dos participantes do Agenda Bahia 2023, que acontece no dia 11 de agosto, das 8h às 19h45, no Senai Cimatec, no bairro de Piatã, em Salvador.

O maestro fará parte do painel "Economia Criativa", junto com o gestor cultural Fernando Guerreiro, o secretário de Cultura Pedro Tourinho e a chef de cozinha Tereza Paim.

Carlos Prazeres rege a Osba desde 2011, foi nomeado diretor da Orquestra Sinfônica de Campinas em 2022 e foi, por oito anos seguidos, regente assistente na Orquestra Petrobras Sinfônica do Rio de Janeiro. Tem dividido o palco com artistas como Antonio Meneses, Nelson Freire, Heléne Grimaud, Ilya Kaler, Gil Shaham, Maxim Vengerov, Ramón Vargas, Peter Donohoe, Jean-Louis Steuerman, Fábio Zanon, Augustin Dumay, entre outros.

Convidado pelo maestro Wagner Tiso para atuar como maestro de sua série MPB & JAZZ, passou a desenvolver uma extensa atividade na música popular, onde acompanhou artistas como Gilberto Gil, João Bosco, Ivan Lins, Stanley Jordan, Milton Nascimento, Hamilton de Holanda, Yamandú Costa, entre outros.

Como maestro convidado, Prazeres tem dirigido importantes conjuntos sinfônicos, tais como a Orchestre National des Pays de la Loire, Sinfônica de Roma, Orquestra da Arena de Verona, Sinfônica Siciliana, Orquestra Cherubini, Orquestra Internacional do Festival de Riva del Garda, Youth Orchestra of the Americas, Junge Philharmonie Salzburg, Filarmônica de Montevideo, Filarmônica de Bogotá, Filarmônica de Buenos Aires do Teatro Colón, Filarmônica de Mendoza, Orquestra do Instituto Politécnico do México, OSESP, Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra do Theatro Municipal do RJ, Filarmônica de Goiás, Orquestra Amazonas Filarmônica, Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), OSUSP, Sinfônica de Campinas, Jazz Sinfônica de São Paulo, Orquestra do Teatro São Pedro (RS), Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, entre outras.

Prazeres estudou regência com I. Karabtchevsky, graduou-se em oboé na UNI-Rio sob a orientação de Luis Carlos Justi e foi bolsista da Fundação VITAE durante seus estudos de pós-graduação na Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim/Fundação Karajan, sob a orientação de Andreas Wittmann.