AUTOS

Bem equipado, Renault Kardian tem qualidades e concorre com Fiat Pulse e VW Nivus

Crossover tem motor turbo e transmissão automatizada de dupla embreagem. Confira avaliação em vídeo

  • Foto do(a) author(a) Antônio Meira Jr.
  • Antônio Meira Jr.

Publicado em 13 de maio de 2024 às 14:00

Todas as três versões do novo Renault utilizam motor turbo e transmissão automática
Todas as três versões do novo Renault utilizam motor turbo e transmissão automática Crédito: Divulgação

Por anos, a estratégia da Renault para o mercado brasileiro foi investir em modelos oriundos da Dacia, uma empresa romena que está sob seu comando desde 1999. Foi assim com Sandero, Logan e Duster, por exemplo. Dessa forma, a filial nacional que começou no país produzindo veículos como o Scenic, um autêntico produto francês, ficou com o portfólio dominado por modelos da subsidiária.

O Kardian, novo lançamento da marca, não é um Dacia. Tem uma nova plataforma e, inclusive, é o primeiro veículo feito na fábrica do Paraná com o emblema atualizado da Renault. No entanto, não é um automóvel que tem um similar na Europa. É focado em mercados emergentes, como a América do Sul e a África - inclusive, o Marrocos será o segundo país a produzi-lo.

O crossover foi desenvolvido pela própria Renault e construído sobre uma plataforma modular - a Renault Group Modular Platform (RGMP) -, que pode ser aplicada a diversos modelos. No caso do Kardian, a RGMP abriga uma carroceria de 4,12 metros de comprimento, 1,75 m de largura, 1,54 m de altura e 2,60 m de distância entre os eixos.

Sob o capô está o novo motor 1 litro de três cilindros da empresa. Turbinado, rende 125 cv de potência com etanol e 120 cv com gasolina, sempre a 5 mil rpm. Com etanol, o torque máximo é 22,4 kgfm, obtido a 2.250 giros, e com gasolina cai para 20,4 kgfm a 2 mil giros. É associado a uma transmissão automatizada de dupla embreagem, que tem seis velocidades.

A avaliação do veículo na Bahia foi feita com etanol. Uma surpresa negativa foi na saída com o carro frio: o motor não tem um funcionamento pleno antes de chegar à temperatura ideal, mesmo com o calor atual. Quando forçado, chegou a soluçar. Na temperatura ideal e em rotações mais altas é ótimo, proporciona prazer ao dirigir e as trocas de marcha podem ser feitas por paddle shifters.

O consumo é bom: a média urbana ficou em 9,1 km/l, superior à do Inmetro (9 km/l) e na estrada chegou aos 10 km/l, também maior que a aferição oficial (9,7 km/l). Com gasolina o Inmetro indica, em km/l, 13,1 na cidade e 13,9 em rodovias.

A cabine tem bons materiais e os seis airbags são de série por Divulgação

PREÇOS E RIVAIS

Inicialmente, a Renault oferece o Kardian em três versões. A avaliada, cujas fotos ilustram a matéria, é a Première Edition, que corresponde a topo de linha e custa R$ 132.790. O único opcional é a pintura em dois tons, que no caso do modelo testado chega a R$ 1.900. Faz muita falta, mesmo que fosse cobrado a parte, a cobertura em couro para os bancos.

A versão Première Edition tem rodas de 17 polegadas e diversos equipamentos de auxílio à condução, como piloto automático adaptativo e sensor de ponto cego. As outras duas opções do veículo são a Evolution, de entrada, tabelada por R$ 112.790, e a Techno, oferecida por R$ 122.990. Em todas elas são oferecidos seis airbags de série.

O bagageiro do Kardian tem capacidade para 385 litros
O bagageiro do Kardian tem capacidade para 385 litros Crédito: Divulgação

Entre seus principais concorrentes estão o Fiat Pulse, o Nissan Kicks e o Volkswagen Nivus. A opção automática do Pulse mais acessível custa R$ 111.990 e a mais completa, com exceção da esportiva Abarth, está disponível por R$ 132.990. O Kicks custa entre R$ 112.990 (Active) e R$ 152.190 (Exclusive). O Nivus parte de R$ 119.990 (Sense) e custa até R$ 151.590 (Highline).

O Renault e o VW sempre são turbinados. O Fiat tem a versão mais acessível aspirada (1.3 litro) e a topo de linha turbo (1.0 l) e o Nissan é sempre aspirado (1.6 l). O porta-malas do Kardian tem capacidade para 385 litros, superior ao do Pulse (370) e menor que o do Nivus (415) e do Kicks (432).

Nessa categoria apenas em uma versão do Pulse, a Impetus, o sistema de carro conectado é oferecido, ainda assim, é opcional, por R$ 2.850. Nissan, Renault e VW não oferecem veículos conectados no país. Ou seja, não é possível, por exemplo, realizar comandos remotos ou localizar o veículo por meio de um aplicativo para smartphone.

MANUTENÇÃO PROGRAMADA

A garantia do Kardian e dos rivais citados é de três anos. As revisões do Renault devem ser realizadas a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, prevalecendo o que ocorrer primeiro. O preço médio das cinco primeiras é R$ 917,28.