Adriana Esteves revela motivo de não participar do remake da novela 'Renascer'

Atriz foi a protagonista da produção original em 1993

Publicado em 30 de outubro de 2023 às 22:02

Adriana Esteves na novela Renascer e hoje
Adriana Esteves na novela Renascer e hoje Crédito: Reprodução

O nome de Adriana Esteves estava cotado para o elenco do remake de "Renascer", que tem estreia prevista para o dia 22 de janeiro de 2024, no horário das 21h, na TV Globo. A ideia era prestar homenagem a atriz que integrou o elenco original da novela em 1993 no papel da mocinha Mariana, desta vez assumindo o personagem da cafetina Jacutinga, interpretada na primeira versão por Fernanda Montenegro.

Segundo informações do site O Globo, a atriz não teria aceitado o papel pela incompatibilidade de sua agenda de trabalho com o início das gravações da novela. Durante o período, ela estaria ocupada com as filmagens da segunda temporada da série "Os outros", do Globoplay. O papel, então, foi dado à atriz Juliana Paes.

Antes do pronunciamento da atriz, especulava-se que a ausência de Adriana Esteves na produção era atrelada às dificuldades que sofreu na época que interpretou Mariana, a jovem disputada por pai e filho —José Inocêncio (Antonio Fagundes) e João Pedro (Marcos Palmeira)— na versão original de Renascer, em 1993. Na época com 22 anos, Adriana foi alvo de duras críticas por sua atuação na trama de Benedito Ruy Barbosa, que resultou numa depressão que a afastou da TV por dois anos.

Adriana conta como foi atuar em 'Renascer'

Em entrevista ao CORREIO em 2021, Adriana destacou que apesar das dificuldades enfrentadas durante a produção, ela foi um marco na sua carreira e trouxe profundos aprendizados. "Tive que me dedicar muito para dar conta do enorme desafio. Mas acho que consegui. Aprendi muito com esse trabalho", disse. "'Renascer' é uma das novelas mais lindas que já vi. É uma honra imensa ter sido tão jovem protagonista dela", completou.

Veja entrevista com Adriana Esteves:

Qual a principal lembrança que você tem de Renascer?

Acho que uma das grandes lembranças é a linda parceria com meu grande amigo Marcos Palmeira. A outra, sem dúvida, foi ter feito amizades tão sólidas como com Tarcisinho, além do encontro com Marco Ricca, que resultou num lindo casamento de dez anos e um filho incrível, hoje com 21 anos, Felipe Ricca.

Como era trabalhar em uma novela dirigida por Luiz Fernando Carvalho?

Luiz Fernando Carvalho foi muito importante em minha formação como atriz. Antes de Renascer ele havia me dirigido em Pedra Sobre Pedra, novela de Aguinaldo Silva. Ele me ensinou a procurar um olhar aprofundado, despertou em mim a paixão por criar as minhas personagens.

Como Renascer marcou a sua carreira?

Renascer foi uma novela linda, num ambiente baiano. Passamos muito tempo gravando e morando em Ilhéus. A novela tinha elenco e equipe de muitos craques. Uma novela altamente poética, e minha personagem foi riquíssima para mim. Diferente de todos os trabalhos urbanos que já haviam me dado.

Você acredita que amadureceu profissional e pessoalmente neste trabalho? O que mais aprendeu com essa personagem?

Essa personagem foi dificílima para mim na época. Tive que me dedicar muito para dar conta do enorme desafio. Mas acho que consegui. Aprendi muito com esse trabalho. Assim que ele acabou, fui fazer teatro com Gabriel Villela, Maria Padilha, Marcelo Escorel. Fizemos uma grande turnê com A Falecida, de Nelson Rodrigues. E posso dizer que o que me fez querer me jogar nessa aventura teatral foi a necessidade de vida na arte. E foi a novela Renascer que despertou em mim essa necessidade.

Muitas novelas estão sendo revisitadas no momento. O que você destacaria em Renascer como um atrativo para o público que não conheceu a novela quando foi exibida originalmente?

Renascer é uma das novelas mais lindas que já vi. É uma honra imensa ter sido tão jovem protagonista dela. Seu último trabalho, Amor de Mãe, acabou de ser indicado ao Emmy Internacional.

Como é para você como protagonista da história receber essa indicação que, aliás, não é a primeira em sua trajetória?

O Emmy só me traz felicidade! Tenho duas indicações como atriz, por Dalva e Herivelto e Justiça; e duas indicações para novelas que protagonizei, Avenida Brasil e Amor de Mãe. Essas indicações dão muito orgulho dos trabalhos que fazemos no Brasil. Tenho honra de ser uma atriz brasileira