CULTURA

Jornalista baiana lança livro em homenagem ao maestro Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz

O livro traz também uma análise teórica sobre o desempenho e a sensibilidade afro-brasileira

  • Foto do(a) author(a) Alô Alô Bahia
  • Alô Alô Bahia

Publicado em 2 de maio de 2024 às 13:05

Vanessa Aragão
Vanessa Aragão Crédito: Ana Júlia Ribas / Reprodução

A jornalista e cineasta baiana Vanessa Aragão lança, no próximo dia 7 de maio, o livro “Rumpilezz: A Performance e Sensibilidade de Letieres Leite e sua Orkestra”, que homenageia e reverência a obra do maestro Letieres Leite e de sua Orkestra Rumpilezz.

O lançamento acontecerá de forma virtual, através de uma live no perfil Instagram da autora @vanessaragao, com a participação do percussionista Gabi Guedes e a produtora cultural Edmilia Barros, que também trabalham com a Rumpilezz.

Resultado da dissertação de mestrado da autora, defendida em 2022 na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a obra analisa a música afro-brasileira e instrumental, através do trabalho artístico produzido pela Rumpilezz.

Com relatos de suas vivências nos bastidores e proximidade de Letieres e todos da equipe da Rumpilezz, a autora descreve na introdução o seu primeiro contato com a orquestra, que foi filmando o show “Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz convida Caetano Veloso”, na inauguração do Hotel Fasano.

O livro traz também uma análise teórica sobre o desempenho e a sensibilidade afro-brasileira do grupo. Vanessa conta ainda sobre sua experiência pessoal e ligação com a música, os artistas e o impacto que sentiu com a notícia da morte do maestro em 2021.

“Esse livro significa muito pra mim. Eu gostaria imensamente que Letieres pudesse estar aqui comigo nesse momento. Acredito que, de alguma forma, ele está, em outra dimensão, regendo de lá também. Letieres sempre foi atencioso no meu projeto de pesquisa. Respondia tudo na maior satisfação e alegria. Além de um chefe querido e mente genial, era um amigo que você podia contar e conversar sobre tudo. Esse livro é uma forma de manter o seu legado vivo. Sei que foi um privilégio estar próxima a ele nesses últimos quatro anos e, por isso, quero passar adiante tudo que aprendi, observei e pesquisei sobre a música afro-brasileira instrumental. Espero honrar esse legado através de minhas palavras neste livro-pesquisa-relato”, relata Vanessa.