ABU DHABI

Brasil se despede do Mundial de judô sem medalha e com derrota para o Uzbequistão

A última vez que o Brasil ficou sem pódios em Mundiais foi em 2009

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 24 de maio de 2024 às 10:14

Imagem representativa
Brasil teve rendimento abaixo do esperado na competição Crédito: Foto: Emanuele Di Feliciantonio/IJF

O Brasil encerrou sua participação no Mundial de Judô, disputado em Abu Dhabi, sem medalhas e com uma dura eliminação na disputa por equipes mistas, nesta sexta-feira. Os atletas brasileiros foram derrotados logo no primeiro confronto, com o Uzbequistão, nos Emirados Árabes Unidos.

Ellen Froner (na categoria até 70kg) e Giovanna Santos (acima de 70kg) marcaram os pontos do Brasil na derrota de 4 a 2 para o time uzbeque, na primeira disputa, já equivalente às oitavas de final. A equipe nacional também teve Jéssica Lima (até 57kg), Michael Marcelino (até 73kg), Marcelo Gomes (até 90kg) e Rafael Buzacarini (acima de 90kg).

Luana Carvalho (até 70kg), Rafael Macedo (até 90kg) e Leonardo Gonçalves (acima de 90kg) também estavam inscritos, mas não chegaram a ser escalados para o confronto com o Uzbequistão. Do outro lado, o time uzbeque contou com Diyora Keldiyorova (até 57kg), Gulnoza Matniyazova (até 70kg), Iriskhon Kurbanbaeva (acima de 70kg), Murodjon Yuldoshev (até 73kg), Sharofiddin Boltaboev (até 90kg) e Alisher Yusupov (acima de 90kg).

"Eu estava bastante focada e direcionada para como eu ia começar essa luta. Já tinha estudado essa adversária (Gulnoza Matniyazova) antes. Abrir a competição foi uma carga de adrenalina junto com a emoção de estar ali. A equipe adversária era forte, mas a gente estava preparado, muito forte também. Só que a gente está num Mundial, não tem equipe mais ou menos", comentou Ellen Froner.

Ao passar em branco na disputa por equipes, o Brasil finalizou sua participação no Mundial de Abu Dhabi sem medalhas, algo raro na história do País nesta competição. A última vez que o Brasil ficou sem pódios em Mundiais foi em 2009, em Roterdã, na Holanda

Desta vez, a ausência de medalhas pode ser justificada pela decisão da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) em poupar alguns dos principais judocas do País, de olho na Olimpíada de Paris-2024, que começará no dia 26 de julho. Atletas medalhistas olímpicos, como Rafaela Silva, Mayra Aguiar e Rafael "Baby" Silva, não estiveram em Abu Dhabi.

Sem eles, o melhor resultado brasileiro em Abu Dhabi foi o quinto lugar obtido por Daniel Cargnin (até 73kg), medalhista olímpico em Tóquio, em 2021. Natasha Ferreira (até 48kg) e Larissa Pimenta (até 52kg) também chegaram ao bloco final e ficaram em sétimo lugar, parando na repescagem.