229 MIL

Bahia só perde para o Amazonas em número de indígenas no território

Dados sobre populações indígenas e quilombolas foram divulgados pelo IBGE nesta sexta-feira (3)

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 3 de maio de 2024 às 16:00

Indígenas de várias etnias que participam do Acampamento Terra Livre 2024 marcham na Esplanada dos Ministérios
Mulheres migram mais para fora dos territórios indígenas Crédito: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

A população de indígenas em território baiano é a segunda maior do Brasil, perdendo apenas para o estado do Amazonas. Na Bahia, 229.443 pessoas se autodeclaram indígenas - menos da metade do estado do Norte, onde são 490.935. Mesmo assim, a população de indígenas na Bahia representa 13,5% do total no país.

Em todo o território nacional, os indígenas somam 1.694.836 de pessoas. Isso significa que 1 em cada 10 indígenas brasileiros estão na Bahia, seja em territórios demarcados ou não. No estado, as mulheres indígenas são maioria (53%), mas isso muda dentro das terras formalmente reconhecidas pelo Estado, onde a participação delas cai para 49,3%.

Os números levam a crer que as mulheres migram mais para fora dos territórios indígenas, em um movimento semelhante ao que acontece nas comunidades quilombolas.

“Frente a 2010, as mulheres ganharam participação entre os indígenas em todas as situações. Mas a predominância de homens nas terras indígenas ainda ocorre, mesmo com a diminuição da população masculina dentro dos territórios”, analisa Mariana Viveiros, supervisora de disseminação de informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Bahia.

Dados revelados pelo IBGE indicam ainda que a população indígena baiana é predominante jovem dentro dos territórios demarcados, onde quatro a cada 10 pessoas estão em idade escolar. A dinâmica é diferente fora das terras indígenas, onde existem mais idosos do que pessoas de até 14 anos de idade entre os indígenas. São 106 idosos para cada 100 crianças.

A tendência populacional na Bahia acompanha o resto do Brasil. Nacionalmente, quase 70% dos residentes em terras indígenas têm menos de 30 anos. Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (3), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e fazem parte do módulo Quilombolas e Indígenas, por Sexo e Idade, do Censo 2022.