Governo da Bahia tenta comprar trens do VLT de Cuiabá, parados há mais de dez anos

Governador mato-grossense afirmou que a negociação está avançada com a Bahia

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 30 de maio de 2024 às 16:47

Projeto do VLT de Salvador
Projeto do VLT de Salvador Crédito: Ilustração

Desde o ano passado, o Governo do Estado tem demonstrado interesse em comprar 40 vagões do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) que estão parados há mais de dez anos em Cuiabá, no Mato Grosso, para implantar em Salvador. Segundo o governador mato-grossense, Mauro Mendes, a negociação está avançada com a Bahia, e faltam apenas “alguns detalhes” para a venda. As informações são do portal Folha do Estado.

Os trens da capital de Cuiabá foram adquiridos em maio de 2012, na gestão do então governador Silval Barbosa, com a entrega prevista para antes da Copa do Mundo de 2014. Mais de uma década e R$1 bilhão de investimento depois, porém, o modal nunca se tornou realidade na capital do Mato Grosso.

Em Salvador, a situação é semelhante. Desde que os trens do Subúrbio Ferroviário suspenderam as atividades em fevereiro de 2021, o VLT foi prometido como o próximo meio de transporte para a região, mas ainda não saiu do papel. Ainda assim, o governo baiano já gastou mais de R$ 60 milhões com o projeto.

Recentemente, o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, se reuniu com Mauro Mendes e com o conselheiro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), que intermedeia a negociação, em Brasília.

“Ainda tinham alguns detalhes técnicos de ambos os lados e ali demos mais alguns passos. Mas ainda precisamos finalizar os últimos detalhes da negociação”, declarou o governador do Mato Grosso, que afirmou ainda que a Bahia está disposta a pagar R$ 600 milhões para a implantação do modal em Salvador.

Em matéria publicada em março, também na Folha do Estado, foi divulgado que o Mato Grosso propôs um valor de R$ 1,2 bilhão para a venda dos trens, mas o governo baiano sugeriu a metade, R$ 600 milhões. Segundo o texto, o governo petista mostrou flexibilidade, com uma proposta entre R$ 650 milhões e R$ 700 milhões.

De acordo com a Casa Civil da Bahia, as negociações estão avançadas, mas não tem como divulgar nada por enquanto, uma vez que ainda não foram finalizadas. “É importante aguardar para o bom andamento do processo”, respondeu a assessoria.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur) afirmou que o processo para a implementação do VLT está em andamento, e que a Sedur está empenhada em iniciar as obras o mais breve possível. “Estamos trabalhando em várias frentes para viabilizar essa implantação. Quanto às negociações para a compra dos trens do VLT de Cuiabá, será necessário atualizar essa informação com a nossa superintendência de mobilidade”.

A pasta foi questionada também sobre a possibilidade de problemas de manutenção nos vagões, parados há dez anos. Em resposta, a Sedur declarou que os vagões foram vistoriados por técnicos especializados e por uma comissão do Tribunal de Contas da União, que constatou que eles estão em bom estado e em condições adequadas de uso.

A reportagem entrou em contato com o Governo Estadual do Mato Grosso, que respondeu que todas as informações sobre a venda dos vagões são tratadas pelo TCU. Também procurado para responder sobre o andamento das negociações e se há previsão para a conclusão da venda, o TCU não respondeu até a publicação da matéria.