APROVAÇÃO EM MASSA

Governo Jerônimo chama professores para discutir portaria após críticas

Reunião entre professores e Secretaria de Educação deve acontecer na próxima semana, segundo a APLB-Sindicato

  • Foto do(a) author(a) Gilberto Barbosa
  • Gilberto Barbosa

Publicado em 11 de abril de 2024 às 05:00

Professores
Professores e estudantes têm criticado portaria da "aprovação em massa" Crédito: Fernando Vivas/GOVBA

A Secretaria de Educação (SEC) da Bahia chamou o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB-Sindicato) para discutir a portaria 190/2024, conhecida como portaria da “aprovação em massa”, após a medida ser alvo de duras críticas de professores e estudantes.

Nesta quarta-feira (10), durante audiência pública na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), a diretora da APLB-Sindicato, Arielma Galvão, contou que um grupo será formado para tratar do assunto com a SEC.

Segundo ela, três membros do sindicato foram convidados para fazer parte do grupo. Ela disse que o convite foi feito através de e-mail enviado pela SEC, com pedido para que a APLB indicasse os nomes que vão integrar a comissão. Além dela, farão parte os professores Reginaldo Alves e Marilene Betros.

“A categoria se reuniu hoje (quarta-feira) com a secretária (de Educação) Rowena Brito, que falou sobre a disposição da SEC em tratar do assunto. Antes, estava sendo dito que não havia expectativa de revogação da portaria. Mas agora foi formado um grupo para discutir isso, já tem reunião marcada para a próxima semana. Agora, há um sinal concreto de tratar essa portaria e avançar nessa pauta com a revogação dela e a construção de outro instrumento”, afirmou.

Em nota enviada ao CORREIO, a SEC informou que tem “um amplo e contínuo diálogo com a APLB”. “Hoje, foram constituídos três grupos de trabalho com representações da SEC e do Sindicato para tratar de temas relacionados à área de atuação da SEC, a exemplo do Programa Sucesso Escolar, Diário Digital, Aprendizagem dos estudantes, Formação dos profissionais da educação, Políticas Públicas de Gestão Educacional, Educação de Jovens e Adultos, Educação em Tempo Integral e Saúde do Professor. Portanto, não trata-se de ‘modelos alternativos’ a Portaria 190, e sim, da condução dos trabalhos da SEC e escuta das representações da categoria”, informou.