ANTES DA FAMA

Parentes e amigos de Davi relembram infância do vencedor do BBB em Cajazeiras: ‘Sempre batalhou muito’

Davi morou com o pai e a irmã após a separação dos pais

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 18 de abril de 2024 às 05:30

Tia de consideração e vizinha, Marinalva cuidou de Davi quando a mãe saía para trabalhar
Tia de consideração e vizinha, Marinalva cuidou de Davi quando a mãe saía para trabalhar Crédito: Marina Silva/CORREIO

O “calma, calabreso” já estava na boca do povo há mais de dois meses quando Davi Brito foi consagrado campeão do Big Brother Brasil 2024, na madrugada de quarta-feira (17). Baiano raiz, daquele tipo que faz questão de mostrar de onde veio, o vencedor levou o nome de Cajazeiras para o mundo. E recebeu algo tão grandioso de volta: o carinho de uma cidade inteira. Enquanto cumpre os compromissos após o programa no Rio de Janeiro, familiares e amigos do bairro acompanham à distância o sucesso do baiano.

Quando atendeu a reportagem, Marinalva Almeida Santos, de 59 anos, estava com uma expressão cansada. “Eu fui dormir de madrugada, acordei agora a pouco, umas 10 horas”, justificou a autônoma. Mesmo após o anúncio da vitória de Davi Brito, a tia de consideração demorou para conseguir dormir. A emoção foi grande. Afinal, o menino que ela cuidou e viu crescer na frente de casa, virou um dos rostos mais conhecidos do Brasil.

A entrevista com Marinalva Almeida não estava marcada. Mas, como entre Cajazeiras e Fazenda Grande IV quase todo mundo se conhece, não foi difícil encontrar a casa dela. No ponto de ônibus próximo ao final de linha de Fazenda Grande IV, a reportagem encontrou uma amiga de Davi da igreja, que apresentou Marinalva. Mesmo surpreendida pela visita inesperada, a vizinha não economizou palavras para falar dele.

“Davi sempre foi um menino bom e trabalhador. O pai dele acordava de manhã cedo e fazia banana real e pastel. Num instante ele subia a rua, até o final de linha, e vendia tudo aos cobradores. Ele sempre foi muito ligeiro”, conta Marinalva. Quando os pais se separaram, Davi e a irmã continuaram morando com o pai, Dermeval de Brito, na casa em frente a residência de Marinalva. Dermerval foi pastor de uma igreja nas redondezas. 

Rua onde Davi viveu boa parte da vida, próximo ao final de linha de Fazenda Grande IV
Rua onde Davi viveu boa parte da vida, próximo ao final de linha de Fazenda Grande IV Crédito: Marina Silva/CORREIO

“A família é muito guerreira. Eles enfrentaram muitas dificuldades que as famílias pobres passam. Chega me dá vontade de chorar porque eu cuidei dele e da irmã quando eram bem pequenos. Ele merece todo o sucesso do mundo”, diz Marinalva emocionada. Ela e a filha não sabiam do sonho de Davi em cursar medicina, mas Marinalva é categórica em dizer que se ele quiser, vai conseguir. “Sempre foi determinado”, afirma a vizinha, que se tornou parte da família.

Na casa de dois andares onde Davi cresceu, já não restam mais pessoas. Antes do programa, ele já tinha se mudado e vivia com a namorada Mani Reggo. Há algumas semanas, o pai e a irmã deixaram a localidade. A única lembrança da presença da família na residência é a cadela Amora, que ficou para trás e sob os cuidados de Marinalva.

O tio de Davi, Ezequiel Marques, irmão do pai dele, continua morando na mesma rua. Foi com o tio que Davi vendeu água na Estação da Lapa, história que contou no BBB e viralizou nas redes sociais. “Ele trabalhou comigo na Lapa. Eu tinha uma banca na parte de baixo e ele vendia água na parte de cima. Era eu, ele e um filho meu que faleceu”, conta. Ele faz questão de dizer que o campeão se comportou no programa da mesma forma que levava a vida na vizinhança.

“Ele sempre foi uma pessoa de caráter, um bom filho e bom marido. Sempre ajudou o pai, especialmente depois da separação dos pais. Muito determinado, como se mostrou no programa”, elogiou. O carisma e a determinação de Davi conquistaram os que conviviam com ele muito antes do confinamento assistido pelo Brasil.